Futebol feminino
Duelo entre o clube paulista e uma parceria entre dois clubes catarinenses proporcionou uma bela final de campeonato, mesmo com a falta de investimento geral na modalidade
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
50689074976_97068854e9_k
Jogadoras campeãs brasileiras pelo Corinthians comemoram o título após um ótimo jogo | Foto: Lucas Figueiredo/CBF/Fotos Públicas.

Com enorme tradição no futebol masculino, o Corinthians acaba de conquistar pela segunda vez o Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino. Mantendo a mesma comissão técnica e a maioria das jogadoras desde 2016, o clube vem se destacando no cenário nacional e internacional. Além do Brasileirão de 2018, o Timão foi campeão da Copa Libertadores da América em 2017 e 2019.

A parceria entre Avaí e Kindermann começou em 2019, unindo as equipes de Florianópolis e Caçador (SC). Apesar de não ser tão conhecido quanto o clube da capital, a Sociedade Esportiva Kindermann tem tradição no futebol feminino, sendo campeã estadual por 11 vezes e campeã da Copa do Brasil em 2015.

O segundo jogo da final começou com a equipe do Avaí Kindermann pressionando e fazendo a goleira Lelê (Letícia) trabalhar. Do outro lado, a goleira Bárbara também foi bastante testada desde o começo. No lance do primeiro gol corintiano não teve qualquer chance contra uma finalização precisa de Gabi Nunes, da entrada da pequena área, após desvio em cobrança de escanteio.

O segundo gol veio de uma cabeçada de Gabi Zanotti, após outra cobrança de escanteio de Diany, poucos minutos depois do primeiro. Dessa vez, Bárbara saiu mal do gol e a camisa 10 do Timão não perdoou. O Corinthians ainda poderia ter ampliado logo na sequência, mas a goleira do Avaí Kindermann e da Seleção Brasileira defendeu um belo chute de fora da área de Zanotti.

Após cobrança de falta no começo do segundo tempo, Zóio (Tauane Sousa) diminuiu a diferença e marcou o primeiro gol do seu time. A volante apareceu livre para cabecear e balançar as redes. A reação da equipe catarinense foi interrompida por mais um gol da camisa 10 alvinegra. Tamires cruzou a bola na medida para Giovanna Crivelari, que cabeceou forte e obrigou Bárbara a espalmar. Gabi Zanotti estava lá para pegar a sobra e marcar o terceiro do Corinthians.

O Avaí não se rendeu e chegou mais de uma vez com perigo ao gol. A resposta corintiana chegou a ser abafada duas vezes seguidas num mesmo lance pela goleira da seleção brasileira, que seguiu sendo muito exigida pelo eletrizante ataque alvinegro.

Nova esperança da equipe azul e branca. Lelê (Leticia) recebeu ótimo lançamento do campo de defesa e bateu cruzado, de primeira, no cantinho do gol defendido por sua xará, que não teve como chegar na bola. Um belo gol, que acrescentou emoção ao jogo.

No entanto, o ataque corintiano surpreendeu novamente. Diany enganou a zaga adversária com uma belíssima assistência para Vic Albuquerque, que matou no peito e bateu cruzado para coroar a vitória do Corinthians.

A qualidade do nosso futebol feminino vem superando o boicote sistemático da CBF e não para de crescer. Com poucos recursos, o futebol feminino enfrenta na maioria dos clubes condições similares ao futebol amador. Quando os clubes investem numa estrutura mínima, como o Corinthians ou a parceria Avaí Kindermann, conseguem dar vazão ao enorme talento das nossas jogadoras.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas