Contra o amarelismo no futebol
Em nota, o Coletivo Democracia Corintiana defende as bandeiras, os movimentos e partidos nos atos
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
democracia corinthiana
Bandeira do Coletivo Democracia Corinthiana | Foto: Reprodução

O “Coletivo Democracia Corinthiana” publicou uma nota em apoio ao uso de bandeiras, faixas e camisetas de partidos nos atos chamados pelas torcidas organizadas. A “Nota de esclarecimento  – O CDC e as Manifestações em Defesa da Democracia”, na qual o coletivo se posiciona em apoio à luta dos movimentos contra a censura e os métodos reacionários do “Somos Democracia” quanto à presença de bandeiras e simbologia partidária.

É importante destacar que esse coletivo é um tradicional organização da esquerda dentro da torcida do Corinthians, regularmente vista atuando no movimento, muito diferente, diga-se de passagem, do amarelo “Somos Democracia”.

Reproduzo aqui parte da nota do coletivo. O texto completo foi publicado em nosso diário. 

“Consideramos que todos os partidos, sindicatos, associações, movimentos e coletivos podem, sim, empunhar suas bandeiras e vestir suas camisetas durante essas manifestações públicas. Qualquer censura constitui-se em paradoxo e afronta justamente os princípios que norteiam nossa luta por justiça, igualdade e democracia.”

A colocação é primeira de uma organização de torcedores diante da polêmica de abaixar as bandeiras de partidos encabeçada pelo “Somos Democracia” nos últimos atos. A posição contrária a partidos nos atos tomou corpo com a entrada dos setores da Frente Ampla no movimento iniciado por torcedores, promovendo uma série atritos com o PCO, único partido que está organizado como tal no movimento. Isso desembocou na ameaça direta a um membro da direção do PCO por parte de Danilo Pássaro, líder do movimento citado.

Queridinho da Folha e do Globo, parte da chapa de vereadores de Guilherme Boulos, que participou do “Não vai ter Copa”, algo que a Gaviões da Fiel opôs – Pássaro – foi desmascarado pelo ação reacionária de ameaçar a própria esquerda. A posição da Democracia Corinthiana, portanto, comprova a completa oposição entre o recém-chegado homem da frente ampla e uma tradicional organização do movimento.

Da mesma forma, o verde-amarelismo na esquerda deve ser desmascarado como um movimento burguês e reacionário de manutenção do política de Bolsonaro sem Bolsonaro. Essa conclusão deve ser tirada de sua própria ação reacionária. As série de manobras contra a presença de Partidos nos atos, os acordos com a polícia de Dória para entregar a Paulista para os fascistas, e a política de privatizar o movimento e canalizá-lo para fins próprios, em sua essência, eleitorais.

O coletivo expressão apenas aquilo que muitos torcedores, nos mais diversos clubes vêem: O coletivo amarelo e azul “Somos Democracia” não é uma criação do movimento, mas se propõe a ser seu coveiro.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas