Crise não acabou
Colocada como um dos países que mais rapidamente controlou a pandemia, a Coreia do Sul enfrenta forte crise econômica.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
29nov18 - -o-presidente-sul-coreano-moon-jae-in-e-sua-mulher-kim-jung-sook-chegam-a-buenos-aires-para-o-encontro-do-g20-1543517778787_v2_900x506
Abertura dos bancos. Imagem: Martin Acosta/Reuters |

Da redação – Anunciado pelo presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, o governo coreano irá dobrar o seu pacote de resgate a empresas falidas.

De acordo com o mesmo, o plano emergencial que tem como objetivo auxiliar as empresas em meio a crise, irá se expandir 50 trilhões de wons para 100 trilhões, o equivalente a 78,6 bilhões de dólares.

A medida do governo deixa claro que mesmo a Coreia do Sul, país que conseguiu rapidamente controlar a pandemia, a situação econômica está muito deteriorada, o que demonstra que a crise é algo muito mais complexo e geral do que a imprensa capitalista noticia.

O socorro em bilhões de dólares às empresas é a consequência da derrocada generalizada do mercado.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas