Ciência a serviço do povo
A OMS reconhece que o país asiático não tem nenhum caso de coronavírus
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
1026570349_7f0bdd521d_k
Estado operário norte-coreano é um dos países que tem combatido com maior eficiência a pandemia | Foto: (stephan)/Flickr
O Instituto de Biologia Médica da República Popular Democrática da Coreia (RPDC) está conduzindo ensaios clínicos de uma vacina candidata à SARS-CoV-2, anunciou hoje a Comissão Estatal de Ciência e Tecnologia.

 

Segundo o site digital Mirae (Futuro), especializado em questões científicas e inovação tecnológica, a vacina é verificada pelo ramo de bioengenharia da Academia Estatal de Ciências, por meio de experimentos em animais de laboratório.

Ele acrescentou que o projeto científico que se une a outros 140 existentes no mundo é criado com antígenos virais através da construção de elementos constituídos por proteínas que não possuem material genético e não podem se replicar (vírus artificiais), o que permitirá sua utilização, caso de resultados positivos, como uma inoculação totalmente segura.

A Comissão Estatal de Ciência e Tecnologia da RPDC disse que, devido à inexistência na Coreia do Norte da SARS-CoV-2, que causa o Covid-19, outras fases dos ensaios clínicos estão pendentes e em discussão porque sua implementação transcende fronteiras.

O site digital NKNews revelou que o representante em Pyongyang da Organização Mundial da Saúde (OMS), Edwin Salvador, disse que até a segunda quinta-feira deste mês a RPDC fez 1.117 testes em pessoas suspeitas de SARS-CoV-2 e todos eles deram um resultado negativo.

Salvador especificou que até terça-feira 610 pessoas estavam em quarentena, todos nacionais, que trabalham no porto de Nampho e nas cidades fronteiriças de Sinuiju (RPDC) e Dandon (China), 58 quilômetros a leste e 230 quilômetros ao norte de Pyongyang, respectivamente.

O diretor-geral da OMS, Tedros Ghebreyesus, confirmou recentemente que centros de pesquisa, empresas e comunidade científica global estão trabalhando contra o relógio para ter uma vacina segura e eficaz que proteja contra a SARS-CoV-2.

Ele especificou que os estudos mencionados são realizados no mundo com vetores replicativos e não replicativos, RNA, DNA, proteínas recombinantes, vírus inativados e pseudopartículas virais.

Ele acreditava que qualquer vacina, mesmo que conferisse proteção parcial, seria melhor do que não ter nenhuma.

De acordo com o site coreano Mirae, a inoculação feita em Pyongyang ocorre a partir da sequência genética que liga o receptor SARS-CoV-2, a enzima conversora de angiotensina 2 (ACE2), considerada o principal catalisador do novo coronavírus.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas