Dormindo com o inimigo
“Coragem, o cão covarde”: Jean Wyllys será ‘professor’ em Harvard
Jean Wyllys prefere lutar contra o golpe em uma sala de aula com ar condicionado, em Harvad, um ícone do capitalismo mundial.
Foto Wilson Dias - Agência Brasil
Dormindo com o inimigo
“Coragem, o cão covarde”: Jean Wyllys será ‘professor’ em Harvard
Jean Wyllys prefere lutar contra o golpe em uma sala de aula com ar condicionado, em Harvad, um ícone do capitalismo mundial.
Jean Wyllys na abertura da Semana da Anistia 2015. Foto: Wilson Dias/Agência Brasil
Foto Wilson Dias - Agência Brasil
Jean Wyllys na abertura da Semana da Anistia 2015. Foto: Wilson Dias/Agência Brasil

Não bastasse sair do Brasil num momento tão delicado do País, em que toda ajuda para organizar a esquerda a lutar contra Bolsonaro seria fundamental, Jean Wyllys abriu mão de seu mandato para, entre outras coisas, iniciar pesquisa sob os auspícios da Open Society Foundations, fundada por George Soros, um capitalista conhecido por financiar grupos ‘de esquerda’[1], desde que eles não representem uma ameaça real ao capitalismo.

Embora faça seus comentários nas redes sociais, apoiando o Lula Livre e o Fora Bolsonaro, ficamos sabendo que seguirá com sua pesquisa acadêmica nada mais, nada menos, do que em Havard [2], um antro de agentes do imperialismo.

Por lá, Havard, é bom lembrar, também passaram Raquel Dodge e Sérgio Moro, Deltan Dallagnol, mas também Jorge Paulo Lemman e sua cria Tábata Amaral de Pontes, Ciro Gomes…. um conjunto de golpistas ou gente alinhada à direita, ao neoliberalismo.

Claro, o ex-parlamentar não vai para a Harvard Law School  ou para a Harvard Business School, por onde passearam Dodge, Moro, Dallagnol, Lemman e grande parte dos executivos das maiores empresas do mundo. Mas, mesmo o Afro-Latin American Research Institute [3], onde seguirá com sua pesquisa e onde dará aulas enquanto faz sua residência, não se pode dizer que seja de esquerda, a não ser que a temática da pesquisa seja o mais relevante para definir a posição política.

Mais importante é que, se entender relações raciais, promover estudos das populações negras (ou afrodescendentes como gostam de dizer) ou desigualdades raciais, pode ter relevância na compreensão da própria desigualdade, não parece absurdo, ainda assim, lembrar Karl Marx [4] e sua discordância com Feurbach e Hegel:

“Até agora os filósofos se preocuparam em interpretar o mundo de várias formas. O que importa é transformá-lo”.

A crise do capitalismo e os golpes que se espalham mundo afora, e sentido tão fortemente no Brasil, parecem suficientes para considerar que a ação política, que a luta contra o Golpe, contra os golpistas, que a organização e mobilização popular são mais fundamentais do que a publicação de artigos e falar para alunos abastados em uma sala de aula com ar condicionado.

_________________________________________________________

NOTAS:

[1] Até o Mídia Ninja, segundo dados da própria fundação Open Society, entre outros, recebeu ou recebe financiamento de George Soros. Algumas dessas organizações:  Instituto Fernando Henrique Cardoso, Actantes – Ação Direta pela Liberdade, Privacidade e Diversidade na Rede, Instituto Sou da Paz, Instituto Igarapé, Agência Pública, Alerta Democrático, Mudamos.org. Esse tipo de financiamento não é exclusivo da fundação de George Soros, a Fundação Ford também financia grupos e projetos ‘de esquerda’, ‘progressistas’, em todo o mundo. A questão é que tal ‘patrocínio’ (financiamento?) Não é despropositado, ao contrário, há quem sustente que, em muitos casos, a própria CIA usa, desde os anos 1950 pelo menos, fundações para direcionar dinheiro para projetos que calculem ser uteis no longo prazo. Cf. SAUNDERS, Francis Stonor. Who Paid the Piper: The CIA and the Cultural Cold War. Londres: Granta Books, 2000.

[2] A Harvard Business School (HBS), fundada em 1908, ainda hoje é vista como uma espécie de passaporte para fazer parte da burguesia mundial. Ela é considerada a escola de negócios mais prestigiada do mundo. Segundo Duff McDonald, em seu livro The Golden Passaport (2017), em que analisa a história da HBS, o pensamento da instituição foi fundamental para dar forma ao capitalismo moderno, assim como, também, teria sido responsável pelas piores crises e escândalos financeiros recentes no mundo ocidental.

[3] Do Hutchins Center for African e African American Research.

[4] MARX, Karl. Teses Sobre Feuerbach. Domínio publico.