Copa Sul-Americana: Atlético-PR derrota o Fluminense e fica mais próximo da final

Furacão

Um dos torneios de maior importância no continente sul-americano se afunila entrando na fase decisiva, com quatro times disputando as duas vagas para a grande final. Brasil e Colômbia são os países representantes nas semifinais da competição, que teve as primeiras partidas realizadas no meio de semana, na quarta e quinta-feira.

Confrontaram-se em uma das semifinais os brasileiros do Atlético-PR e Fluminense, com a primeira partida sendo realizada no gramado sintético da Arena da Baixada, em Curitiba, casa do “Furacão” paranaense.

O rubro-negro do Paraná – empurrado por sua numerosa e apaixonada torcida – se impôs diante de um Fluminense confuso e vulnerável na defesa, dominando completamente a partida na etapa inicial. O técnico tricolor montou o esquema defensivo como vem fazendo no campeonato nacional, com três zagueiros, mas a estratégia não funcionou, pois os atacantes do adversário entravam com facilidade na defesa tricolor, desnorteando a zaga carioca. Numa dessas ocasiões o jovem atacante Renan Lodi teve duas oportunidades para chutar e abrir o placar, sem que a cidadela defensiva dos cariocas cortasse a bola. O placar poderia ter sido ainda mais elástico, pois os donos da casa criaram outras importantes chances de gol que acabaram não sendo convertidas. Do lado tricolor, somente duas oportunidades, que foram defendidas pelo bom goleiro Santos.

Na segunda etapa o “Furacão” desacelerou um pouco, permitindo o crescimento do Fluminense num determinado momento da etapa complementar. Mas o Atlético estava determinado a ampliar o marcador e novamente numa falha da zaga, o “baixinho” Rony se adiantou à marcação do lateral esquerdo tricolor – que não o acompanhou – e cabeceou certeiro contra as redes de Julio César, sem possibilidade de defesa para o goleiro tricolor, que – não pode deixar de ser registrado – salvou o Flu de um placar ainda mais adverso, evitando mesmo uma goleada. O goleiro Julio César salvou o Fluminense em pelo menos três situações certas de gol do Atlético.

A vitória pelo placar de 2 x 0 deixa o time paranaense em situação bastante favorável à conquista da vaga, embora nada esteja definido, pois a partida de volta será no Maracanã, casa do tricolor, que já convocou sua também numerosa e barulhenta torcida para junto com o time, tentar reverter a desvantagem. O Fluminense precisa de pelo menos igualar o mesmo marcador do primeiro confronto, levando a decisão para os pênaltis. Se vencer por um placar superior a dois gols e não levar nenhum, ficará com a vaga para a final. Tarefa difícil para os tricolores, considerando o momento atual que atravessa o time rubro-negro, muito bem ajustado e treinado pelo técnico Tiago Nunes.

Na outra partida da semifinal da competição, dois times também do mesmo país (Colômbia) confrontaram-se na busca de uma das vagas para a final. Santa Fé e Junior Barranquilla fizeram uma partida movimentada, com os dois times buscando o gol. Os visitantes (JB), no entanto, estavam mais consistentes em campo, explorando as possibilidades de ataque por todos os espaços do campo, enquanto que os donos da casa não conseguiam encontrar os espaços para armar jogadas ofensivas que levassem à meta dos visitantes. O Junior Barranquilla se impôs e como resultado desse futebol mais consistente fez 2 x 0 no Santa Fé, com um gol em cada etapa. O marcador favorável aos visitantes deixa o time em excelente condição para a conquista da vaga à final da Copa Sul-Americana.

Depois da eliminação de dois times do Brasil (Palmeiras e Grêmio) na Taça Libertadores – onde a arbitragem da Conmebol atuou ostensivamente contra o futebol brasileiro – duas equipes nacionais disputam uma das semifinais da segunda mais importante competição do continente, onde uma das duas estará disputando a final contra um adversário colombiano. Esperamos que não haja a mesma conduta parcial da arbitragem nesta final, a exemplo do que foi feito contra os brasileiros na Libertadores.