Em entrevista
Entrevistado pelo site Lance!, o candidato à prefeitura de São Paulo pelo PCO apresentou o programa de luta do partido para o esporte
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
4
Antônio Carlos em atividade política na Avenida Paulista | Foto: Reprodução.

Candidato à prefeitura de São Paulo pelo Partido da Causa Operária (PCO), o experiente militante Antônio Carlos concedeu entrevista ao site esportivo Lance! na última terça-feira. Nela, apresentou o programa do partido para o esporte.

Antônio Carlos colocou que o PCO defende pesados investimentos públicos no esporte a partir das escolas e universidades públicas. Apontou que para elevar o nível esportivo no país é preciso massificar a prática esportiva, o que depende de investimentos sérios para criar as condições para isso, a partir das escolas.

Perguntado sobre o critério que utilizaria para a escolha do secretário de esportes, o militante esclareceu que defendemos um governo dos trabalhadores. Assim sendo, um secretário (ou cargos equivalentes) deve ser escolhido pelos trabalhadores dos setores envolvidos. No caso dos esportes, deveria envolver atletas e demais profissionais da área, além dos torcedores e suas organizações próprias.

Sobre como lidar com a pandemia de Covid-19, Antônio Carlos denunciou a omissão criminosa dos governos de direita nas esferas municipal, estadual e federal. Retomando pontos do programa de combate à crise lançado pelo PCO ainda em março, denunciou que não há testagem massiva da população e nem atendimento de saúde adequado.

Assim como nos esportes, esse quadro só pode ser revertido com pesados investimentos, não só para a compra dos equipamentos necessários mas em especial para melhorar as condições de trabalho e os salários dos trabalhadores da saúde.

Antônio Carlos aproveitou para denunciar que a pressão pela reabertura das escolas, assim como ocorreu no retorno das competições esportivas, atende a interesses de grupos empresariais que controlam estes setores em contraste com os interesses populares.

Para estimular a prática esportiva, o candidato do PCO à prefeitura de São Paulo assinalou que o poder público não deve apenas promover campanhas mas criar as condições adequadas para essa prática. Da perspectiva do partido revolucionário é preciso mobilizar a população e os conselhos populares para exigir essas condições. Em especial nos bairros operários e populares, exigir a criação de espaços públicos adequados, academias públicas e a contratação de milhares de profissionais para atuar também nas escolas públicas, que devem ser abertas à comunidade.

Em relação aos clubes de futebol da capital paulista, Antônio Carlos defendeu o controle pelos torcedores e sócios do clube. As máfias de cartolas e patrocinadores que os controlam atualmente atuam apenas em benefício próprio, dificultando cada vez mais o acesso do povo ao esporte. Para o PCO, nem o Estado nem os monopólios da comunicação (como a Globo) devem interferir nos clubes.

Questionado sobre sua posição em relação à privatização do autódromo de Interlagos, Antônio Carlos foi enfático ao se opor e denunciar a entrega do patrimônio público. Por terem sido construídos com trabalho e recursos do povo paulistano, trata-se de uma política criminosa repassar esses patrimônios para turbinar os lucros da iniciativa privada.

Contra as ilusões eleitorais, disseminada à esquerda e à direta, ressaltou que para defender os interesses da população contra os interesses dos bancos e grandes monopólios econômicos, é necessário fortalecer a organização dos conselhos populares.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas