Um instrumento de mobilização
A esquerda precisa abandonar as ilusões na instituições golpistas e mobilizar o povo
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
lula
Lula em ato contra o golpe | Arquivo

A esquerda pequeno-burguesa está condicionada a enxergar as coisas apenas eleitoralmente. A crença na democracia burguesia a torna incapaz de perceber que na realidade não existe democracia e que o povo só consegue as coisas na base da força. A eleição, nesse sentido, não passa de uma expressão na superfície dessa força.

Mas, apegada a cargos e posições no Estado, a pequena burguesia tem dificuldades de entender a política do ponto de vista da mobilização das massas.

A questão da luta pelos direitos políticos de Lula esbarra nesse problema.

Uma parte da esquerda está procurando o seu próprio lugar ao sol, ou seja, seu cargo, ou pelo menos avançar alguns degraus rumo a um cargo. Por isso, diz que defende Lula mas não necessariamente defende a candidatura de Lula, pois acredita que teria condições iguais de disputar a presidência. Um delírio, mas é o que esses setores da esquerda pensam. Fica bem explícito na declaração de Guilherme Boulos que afirmou, sobre a decisão do PT de lançar uma campanha Lula/Haddad, que era preciso discutir um “projeto de unidade”. Independente da consideração – que nós achamos errada – sobre a decisão do PT sobre Haddad, fato é que Boulos está delirando se acha que do ponto de vista eleitoral teria cacife para decidir de igual para igual com Lula e o PT sobre a candidatura em 2022.

Outra parte da esquerda acredita que embora seja importante lançar Lula, caso ele não possa se candidatar, é preciso repetir o erro de 2018 e lançar alguém no lugar. Seria como se o juiz de uma partida de futebol, declaradamente torcedor do time adversário, decidisse a escalação do seu time e você aceitasse, de cabeça baixa. No mundo real ninguém aceitaria tal arbitrariedade, mas a esquerda, que vive no mundo da fantasia chamado “democracia”, abaixa a cabeça e aceita as imposições do juiz.

As duas ideias mostram o nível de ilusão que a esquerda tem nas instituições do regime golpista. Ela acredita que fazer política é seguir essas instituições. Para a esquerda, política não é uma luta de interesses. E bom explicar o que significa lutar, já que a palavra ficou vazia de tanto que a esquerda usa para fazer demagogia. Trata-se de força, quem tem mais força, ganha, ou no ditado popular, quem pode mais chora menos.

Até agora, quem pode mais é a burguesia. Ela mobilizou a extrema-direita, deu o golpe, prendeu Lula, fraudou a eleição de 2018 e elegeu Bolsonaro. Ela dá as cartas no jogo institucional. Em geral é assim, com o golpe piorou.

O que restaria para a esquerda é mudar essa situação “podendo mais” do que pode hoje. E para poder mais, ou seja, para ter força nessa luta, é preciso mobilizar o povo. Mobilizar o povo não significa participar da eleição, pedir voto e aceitar, de cabeça baixa, o jogo do seu inimigo, como fizeram em 2018.

A eleição não deve ser nada mais do que um instrumento para uma mobilização real, que é a força que a esquerda precisa. Para que isso ocorra, é preciso em primeiro lugar mobilizar em torno daquilo que a direita mais se esforça para tirar do jogo político: Lula.

A luta pelos direitos de Lula e consequentemente por sua candidatura não é um problema meramente eleitoral. A eleição é secundária, é apenas uma alavanca. A candidatura de Lula, que até o momento é tudo o que a direita não quer, é colocar o regime político em xeque, chamando o povo a fazer isso em torno do direito de Lula ser candidato e ser votado.

Se a direita disser não. É preciso denunciar a fraude e chamar o povo a se mobilizar. Criar um movimento cuja principal preocupação seja a força da mobilização e não a busca delirante por um voto e um cargo.

Esse é o problema central da luta contra o golpe. Da luta contra Bolsonaro e todos os golpistas.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas
Sobre o Autor
Publicidade
Últimas
Publicidade
Mais lidas hoje
Send this to a friend