Contra os funcionários, Cruesp mantém reajuste de apenas 1,5% nas universidades paulistas

cruesp

O Conselho de Reitores das Universidades Estaduais Paulistas (Cruesp) informou que mantém sua proposta de reajuste de apenas 1,5% nos salários dos servidores técnicos e administrativos das instituições.

A decisão do Conselho gerou revolta por parte dos professores e demais trabalhadores das três instituições, uma vez que um reajuste é baixíssimo. Dessa maneira,, funcionários da Universidade de São Paulo (USP) entraram em greve na manhã dessa quarta-feira (13), reivindicando reajuste salarial de 12,6%  e aumento no valor dos vales alimentação e refeição.

Segundo o diretor da Sintusp em Ribeirão Preto, Luís Ribeiro, “Também reivindicamos, de maneira geral, mudanças da estrutura. A USP tem um estatuto que é praticamente medieval. Hoje, o conselho da universidade está na mão de 120 professores e temos apenas três estudantes. A nossa decisão dentro do órgão é muito pequena”, afirma Ribeiro.