“Contra burguês, Hitler outra vez”: PSTU/Conlutas faz chapa com bolsonarista de extrema-direita para ganhar do PT

bolsonaro-marcelocamargo-abr

O estado de demência, senilidade e oportunismo político extremo parece ter se apossado em definitivo do Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado, o PSTU. O partido que se ombreou aos golpistas ao longo de todo o processo que deu início ao golpe de Estado no país, apartou-se completamente de todo vínculo que ainda mantinha com os interesses dos trabalhadores, onde passou a atacar, de forma frontal e direta, as representações mais legítimas da classe operária, política essa que já vinha orientando a atuação do PSTU desde quando decidiram pela ruptura com a Central Única dos Trabalhadores, a CUT, embarcando na aventura tresloucada de construir uma “central” própria, a raquítica e anêmica Conlutas, agrupamento sindical sem nenhuma expressão e presença na luta real das massas.

Sem minimamente ter qualquer compreensão sobre os fundamentos mais elementares que norteiam os eixos da atual conjuntura internacional e nacional que motivam o imperialismo e um setor das burguesias nacionais a fomentarem golpes de estado em várias regiões do planeta, os morenistas adotaram a inconsequente e ensandecida postura de apoiar esses movimentos golpistas. Afirmam os enlouquecidos dirigentes morenistas que não houve golpe nestes países, mas “movimentos de luta das massas” contra governos “alinhados com a burguesia”, portanto passíveis de serem derrubados…”pelas massas”.

Essas absurdas e enlouquecidas concepções, evidentemente, conduzem a desdobramentos ainda mais inacreditáveis e desmiolados quando se trata da política do dia a dia. Toda a atividade do PSTU nesses últimos três anos no país esteve voltada para atacar e caluniar a esquerda que assumiu a denúncia e a luta contra o golpe de Estado, articulado, financiado e coordenado pelo imperialismo, consorciado ao reacionarismo direitista em vários países do continente americano. Em todos os fóruns onde estão presentes (políticos, sindicais), o que ainda resta da militância do partido se dedica a atacar o ex-presidente Lula, o PT e o conjunto do ativismo de esquerda que luta contra o golpe de Estado e a extrema-direita.

Dessa forma, como o oportunismo e a desorientação política não conhecem limites, os sindicalistas morenistas partiram para uma aventura ainda mais esquizofrênica. Sem qualquer pudor, reserva ou escrúpulos, – e é bom que se diga, coerentes e sem se desviar da política que sempre orientou a atuação do partido no movimento sindical, marcado pelo mais rasteiro e deslavado oportunismo e peleguismo – os morenistas acabam de conformar uma chapa para concorrer às eleições do Sindicato dos Metalúrgicos de Itabira-MG, não só apoiando, mas tendo como cabeça de chapa ninguém menos do que o elemento que é o articulador e organizador, na região, da campanha do candidato da extrema-direita fascista, o escroque Jair Bolsonaro, figura sinistra, inimigo declarado dos trabalhadores e da esquerda nacional. Nunca é demais lembrar que Bolsonaro tem como candidato a vice em sua chapa presidencial ninguém menos do que o troglodita general Hamilton Mourão, o mesmo que por mais de uma vez já ocupou espaço na imprensa golpista para ameaçar o país com intervenção militar; leia-se golpe de Estado. Isso mesmo, não se assustem e creiam. Um bolsonarista de carteirinha é o candidato a presidente na chapa apoiada e composta por integrantes do PSTU/Conlutas, que tem o aval da direção nacional do partido. O elemento que estará como candidato à presidência da chapa do PSTU/Conlutas é vereador na cidade de Itabira pelo Partido da República (PR), legenda golpista de primeira hora, apoiadores do golpe contra a presidente petista e que compõe neste momento a aliança em torno ao candidato tucano Geraldo Alckmin, do PSDB, algoz dos trabalhadores e das organizações de luta (sindicatos, partidos, movimentos) das massas.

Como se vê, na orgia do vale-tudo do PSTU/Conlutas para estarem a frente dos aparatos sindicais, tudo é permitido e nenhum absurdo, por mais escandaloso que seja, será castigado.  Esta é a “superior moralidade” dos morenistas que atacam o PT, a CUT e o conjunto das outras organizações de luta dos trabalhadores por estarem alinhados aos “governistas” petistas e cutistas, base da “crítica” do PSTU quando da sua ruptura com a CUT e que deu origem a fundação da minúscula e inexpressiva Conlutas. Portanto, é totalmente pecaminoso estar junto aos governistas do PT e da CUT, mas é não só legítimo como um grande “acerto político” estar alinhado a elementos da extrema-direita fascista para “levar adiante” a luta dos trabalhadores em uma entidade sindical de operários. E viva a “frente única” com o fascismo em defesa dos “superiores interesses” dos trabalhadores.