Contra as demissões e a destruição da universidade, funcionários da UnB protestam em Brasília

20180410172111427423i

Estudantes, funcionários e professores da Universidade de Brasília realizaram um protesto nesta terça-feira (10) em frente ao prédio do Ministério da Educação, o protesto é contra a destruição completa da Universidade promovida pela política dos golpistas. Sem perspectiva de investimento,  Universidade prevê déficit de 92 milhões e prepará cortes drásticos, a situação da Universidade é de quase falência.  

Organizado pelo comitê de defesa da UnB, composto pelo DCE, pelo Sindicato dos Trabalhadores da Fundação Universidade de Brasília (Sintfub) e pela Federação de Sindicatos de Trabalhadores em Educação das Universidades Brasileiras (Fasubra), o protesto, que começou por volta das 10 horas da man foi brutalmente reprimido pela Polícia militar do DF. Três estudantes foram inclusive presos nesta operação de guerra contra o povo.

Devido a falta de diálogo com o Ministério e a brutal repressão que sofreram os manifestantes ocuparam o prédio da Fundação Nacional de Desenvolvimento da Educação FNDE no setor Bancário sul  que terminou por volta da 21 horas. Os estudantes escreveram um manifesta elucidando o caso e sua reivindicações.

A educação pública no país, tanto de nível superior, quando de nível médio e fundamental está sob ataque cerrado dos golpistas. Uma das razões do golpe de Estado é a abertura total do mercado brasileiro  ao capital internacional, o que passa necessariamente pela destruição da saúde e educação públicas e gratuitas, permitindo assim que os grandes monopólios capitalistas internacionais este mercado, permitindo também que o capital internacional, imperialista, tenha maior controle sobre as contas e as ações do Estado Brasileiro.

Por isso é necessário derrotar o golpe de Estado de conjunto e com isso todas as sua medidas que pretendem condenar a população a um futuro sombrio.

Veja o manifesto dos estudantes:

“Em nome do corpo estudantil da UnB e dos funcionários terceirizados, por meio desse manifesto, estamos vindo relatar a ocupação do FNDE após a dura repressão dos manifestantes pela Polícia Militar e Batalhão de Choque. Hoje, 10 de abril de 2018, a partir das dez horas da manhã, nos mobilizamos em frente ao Ministério da Educação. Nos mobilizamos contra os cortes orçamentários anunciados pela reitoria da UnB: contra a demissão de 55% dos funcionários terceirizados, contra a proposta de aumento dos preços do Restaurante Universitário e contra o corte das bolsas de assistência estudantil e dos estagiários.

Mais cedo, ao apresentarmos nossa pauta para o Ministério da Educação, fomos duramente reprimidos pela Polícia Militar e a tropa de choque, sofrendo forte repressão física: três estudantes foram retidos e uma estudante foi gravemente agredida, além de toda a massa de estudantes que foram atacados com spray de pimenta e lançamentos de gás lacrimogêneo, inclusive após a dispersão.

Queremos que nossa causa seja ouvida e, nossos direitos, reconquistados.

Pelo fim dos cortes orçamentários, pela segurança dos alunos, pela não privatização das universidades federais e pela garantia de emprego e pela auditoria de contas dos funcionários terceirizados. Pelo fim da super faturação das empresas terceirizadas contratadas pela reitoria. Pelo direito de protestar livremente assegurado pelo Artigo 5º da Constituição Federal. Pela autonomia orçamentária e administrativa da UnB. Por uma resposta oficial do Ministro da Educação

RESISTIMOS”