Continua o massacre israelense em Gaza: sete palestinos são assassinados em operação clandestina

Members of Palestinian security forces loyal to Hamas escort an alleged collaborator with Israel, who was convicted in participating in killing senior Hamas commander Mazen Fuqaha, as he arrives to a Hamas-run military court in Gaza City

Há décadas, o imperialismo criou mais um mecanismo para esfolar os povos que habitam o Oriente Médio: o Estado de Israel. Região importante para a sustentação do imperialismo, sobretudo por causa do petróleo, o Oriente Médio é rigorosamente controlado pelos monopólios internacionais, de modo a inibir qualquer iniciativa de caráter minimamente nacionalista.

A criação de um Estado artificial e a migração induzida de judeus para o território que hoje é controlado por Israel não poderia resultar em nada diferente a não ser um grande choque com os povos que estavam acostumados a morar e produzir na região. Para manter o Estado de Israel, o imperialismo precisa constantemente atacar os palestinos, aterrorizando a população autóctone para impedir que esta se rebele e, organizada junto às demais nações oprimidas, conquiste sua soberania.

No último domingo, Israel, em conjunto com o imperialismo, empreendeu mais um massacre aos palestinos. Na Faixa de Gaza, local de constante conflito, ao menos seis palestinos foram assassinados pelos israelenses. Uma das vitímas é Nur Barake, comandante da ala militar do Hamas.

O massacre sistemático dos palestinos é um dos piores crimes que o imperialismo vem cometendo ao longo da História. Por isso, é necessário defender os interesses nacionalistas de todos os povos do Oriente Médio e a dissolução do Estado de Israel.