Chacina colombiana
Prossegue a carnificina contra opositores ao governo colombiano
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
11078 (1)
Povo colombiano nas ruas | Foto: Reprodução

Parece não ter fim a matança desenfreada de líderes de movimentos sociais, indígenas e, ex-combatentes  pela ditadura colombiana.
Nesta semana, assassinaram mais um dos signatários da paz na região de Guaviere, o ex-combatente, Plutarco Cardoso, morto a tiros. Além disso, o assassinato do ex- governador indígena, Freddy Zambrano, juntamente com sua esposa no município de Suarez, na região do Cauca. De acordo com os noticiários locais, homens armados dispararam contra o casal quando chegaram em sua casa.
Até o momento, são 232 ex-combatentes mortos após o acordo de paz.
Enquanto os movimentos de luta seguem os protestos reivindicando respeito pela vida e a paz no país e, no aguardo de um diálogo com o presidente colombiano Ivan Duque, exigindo o cumprimento dos acordos de paz. Mas, como não é de surpreender, Duque segue resistente em ter um diálogo com os porta vozes indígenas e demais líderes de outros movimentos sociais.
Está muito claro que tentativa de diálogo não será a solução para o banho de sangue que assola a Colômbia, vide todas as tentativas dos movimentos sociais em seguir de forma civilizada reivindicando que seja respeitado o acordo de paz.
O plano de paz de 2016 é uma verdadeira farsa, pois só ocorreu para desarmar as FARCs, beneficiando a direita e os interventores norte-americanos que atuam no país e que já mataram quase mil pessoas em menos de 4 anos. Lembrando que o país ainda conta com soldados dos EUA se aliando a grupos paramilitares de extrema direita, para corroborar com essa verdadeira chacina que tem acontecido de manifestantes e líderes de movimentos sociais. Mas o que temos por parte da esquerda colombiana, são apenas solicitações de apuração de fatos e mais uma série de protocolos parlamentares que não vai mudar em absolutamente nada, a situação deplorável em que a Colômbia vive.
Toda essa opressão contra a população, tem como objetivo claro, impor o medo para que não seja travada uma luta contra esse governo de extrema-direita, com características fascistas, muito evidentes. Iván Duque não passa de um despachante dos interesses imperialistas e absolutamente nada vai mudar isso.
E para variar a rotina, temos a imprensa imperialista, que não denuncia por cinco segundos sequer, a barbárie que tem ocorrido na Colômbia. Serve apenas para chamar Nicolás Maduro de ditador – que não se curva aos interesses imperialistas – sendo que o mesmo foi eleito pela vontade do povo. Outro exemplo de manipulação, é o caso da Bielorrússia, onde a imprensa insiste em noticiar a “opressão” do atual governo contra seus opositores – governo que também não é alinhado aos interesses imperialistas.
Tudo isso deixa muito claro também que essa mídia golpista mundial não dá a mínima para um Estado em situação ditatorial, vivem apenas de manchetes demagógicas, todas pautadas pelos caprichos da burguesia.
Não existe outra forma de combater esse verdadeiro extermínio contra o povo colombiano, que não as ruas tomadas pela população, para derrubar o governo de Duque e expropriar a burguesia parasita, que há anos tem colocado todas as suas forças em suprimir o povo com a ditadura burguesa.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas