Genocídio estudantil
Cenário do retorno às aulas no Brasil será bem pior que nos EUA.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
15968121995f2d6ba7e4291_1596812199_3x2_rt
"Nada de reabertura até que seja seguro" Cartaz em protesto em Los Angeles contra o retorno. | Reuter

Em uma tendência similar a vivida no brasil em diversos setores, nos Estados Unidos a rotina escolar vem sendo retomada nas universidades de diversos estados desde o início do mês de agosto, o resultado foi um pico na taxa de casos de infecção por covid-19 e consequentemente na desistência pela retomada das aulas em muitas instituições.

Na universidade de Notre Dame, sediada no estado de Indiana, as aulas retornaram em 03 de agosto. Agora estão suspendendo a aula após um aumento considerável de casos da doença. Até quinta (20), 304 alunos testaram positivo. A universidade conta com 11.733 alunos. O estado de Indiana possui uma população de 6.666.818 habitantes.

A Universidade de Boston registrou 16 casos desde que começou a testar seus alunos no final de julho, num universo de cerca de 1000 testes. Contam 33.421 alunos em seus registros. Já a Emerson College, com 4,919 alunos, registrou um caso desde de que os testou em 10 de agosto. Ambas instituições se encontram na cidade de Boston, Massachussetts. O estado tem uma população de 6 859 819 habitantes.

Na Universidade de Kentucky foram registrados 225 casos de Covid-19 desde o retorno às aulas em 03 de agosto. Kentucky tem uma população de 4.454.189 habitantes.

A universidade de Carlina do Norte decidiu por colocar todos os alunos em ensino a distância.

Colorado, Alabama, Arizona, Mississippi e outros estados também registraram casos de contaminação entre seus Alunos.

É preciso lembrar que o número de registros de casos positivos citados é parcial, uma vez que apenas uma fração dos alunos costuma ser testada. Além disso estes números são registros feitos a partir de mais ou menos três semanas, quando as aulas retornaram nos diferentes estados. Todas as instituições ficam em regiões próximas umas as outras na parte leste dos Estados Unidos, a região com maior concentração de habitantes.

Neste cenário podemos ver alguns números relativos a experiência do retorno às aulas nas instituições de ensino superior nos Estados Unidos. O ensino superior tem números consideráveis de alunos,mas devido ao fato do acesso ás universidades nos EUA ser privado o número de alunos é menor que no Brasil. Apenas para citar alguns números da quantidade de alunos nas universidades brasileiras:

Número de alunos aproximado:

USP: 97.964

UFRJ: 67 000

UERJ: 32.220

UNB: 38.475

UFMG: 48.949

UFPE: 43.375.

Estes são apenas os números do ensino superior, quando se considera o ensino básico o número é muito maior. Na rede municipal do Rio de Janeiro constam 641.141 alunos, na de São Paulo 925.154. No Brasil, país bem mais pobre que os EUA, um eventual retorno as atividades escolares significaria um cenário ainda pior que nos EUA. Não só para os alunos mas para as pessoas que estes eventualmente terão contato. Todos esses jovens estarão em circulação sem proteção adequada.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas