Energia 100% estatal!
Os monopólios imperialistas que controlam a energia do Brasil querem jogar todo o peso da crise nos ombros dos trabalhadores aumentando em 13% o preço da luz, é preciso impedi-los
conta de luz
Conta de luz da época do governo golpista de Temer | Foto: Reprodução.
conta de luz
Conta de luz da época do governo golpista de Temer | Foto: Reprodução.

Em meio a uma das maiores crises econômicas da história do Brasil em que metade da população não está empregada e a fome tende a atingir 100 milhões de pessoas, o governo golpista planeja mais um ataque absurdo à população, o aumento das contas de luz. De acordo com o diretor geral da Agência Nacional de Energia Elétrica, Aneel, “se nada for feito” as contas de luz terão um aumento de 13% em média esse ano, ou seja, os capitalistas saquearão mais ainda a população para manter seus lucros, um ataque a classe trabalhadora por si só que é ainda mais perverso em meio a pandemia de covid que mata mais de 1000 brasileiros todos os dias.

As desculpas para o aumento são muitas, desde a alta do preço do dólar e do IGPM até as poucas chuvas que diminuem os reservatórios das hidrelétricas que assim produzem menos energia e portanto aumentam a demanda pela energia mais cara das termelétricas. Apesar de terem alguma relação com a realidade o verdadeiro motivo pelos aumentos do custo da energia elétrica e outros produtos básicos como o gás de cozinha são a necessidade de se manter os lucros dos grandes monopólios da energia em meio a gigantesca crise do capitalismo, todo o peso da crise é jogado nos ombros da população que é empurrada cada vez mais para a miséria absoluta.

Uma das principais questões em relação à energia elétrica é que em quase todo o Brasil ele é controlado por empresas privadas imperialistas que não tem interesse nenhum em garantir energia para 100% da população, apenas querem extrair riquezas do Brasil por meio do controle desse bem básico. É um completo absurdo que algo tão crucial como a energia elétrica seja controlado por empresas privadas, um setor que por excelência funciona melhor de forma centralizada e organizada, que fisicamente não tem como existir competição já que não faz sentido nenhum ter mais de uma empresa abastecendo cada localidade. Essas vampiras saqueiam a população todos os dias cobrando um valor caríssimo por esse bem essencial.

A Light por exemplo, é uma empresa canadense que controla a produção e distribuição de energia no estado do Rio de Janeiro desde 1905, ou seja, está a mais de 115 anos enriquecendo a burguesia imperialista explorando a população fluminense cobrando taxas caríssimas por um péssimo serviço. Essa mesma empresa participou ativamente do golpe de Estado de 1954 que derrubou o governo Vargas justamente por este ter o plano de criação da estatal Eletrobras, que foi efetivamente fundada no ano de 1962 no governo Jango, também derrubado por um golpe.

Em São Paulo por um tempo existiu uma estatal de energia elétrica chamada Eletropaulo, ela chegou a ser uma das maiores estatais do Estado com quase 30 mil trabalhadores e uma das maiores empresas de distribuição de energia do mundo. Na década de 1990, no governo neoliberal dos capachos do imperialismo FHC e Mario Covas, a empresa foi entregue ao imperialismo italiano e se tornou parte da Enel. Com o golpe de 2016 que derrubou a presidenta Dilma a destruição da economia nacional voltou a ser a política do governo que teve como uma de suas últimas vitórias a privatização da Companhia Energética de Brasília.

Está claro que o controle de um dos bens mais valiosos do Brasil, que é a energia elétrica, está nas mãos dos grandes monopólios imperialistas que fatiam cidades e estados a seu bel prazer para lucrar em cima do roubo da população. É um sistema completamente ineficiente que ficou ainda mais escancarado no monstruoso apagão de 3 semanas no estado do Amapá, e a tendência é que os serviços fiquem cada vez mais caros em todo o país e que infra estrutura piore cada vez mais tendendo a chegar na situação em que está neste estado da região norte. Em meio a decadência do capitalismo essa é a tendência não só das empresas de energia como de todos as outras que controlam as necessidades básicas da população.

Em meio a gigantesca crise econômica sanitária que assola o Brasil é necessário que a esquerda organize a mobilização para impedir absurdos como este aumento previsto de 13% nas contas de luz. Não só isso como é preciso todo um programa que congele o pagamento das contas de energia, água, gás, e os próprios aluguéis e que proíba imediatamente quaisquer cortes de fornecimento e despejos para que se impeça qualquer avanço da pandemia que pelas estimativas conservadores já levou mais de 350 mil brasileiros a morte e deixou um número ainda maior com sequelas irreparáveis.

Em meio a situação de calamidade em que se encontra o Brasil são necessárias medidas drásticas, caso as empresas privadas entrem em crise os trabalhadores não devem pagar nem sequer um centavo para salvar os capitalistas, é necessário estatizar-las imediatamente, contratar todo pessoal necessário para garantir serviços de qualidade, e assim também combater o desemprego e organizar um sistema de turnos alternados para evitar mais contaminação. Esta luta contra as privatizações faz parte da luta contra todo o regime golpista que se instalou em 2016, portanto é preciso unificá-la com as demais lutas de todo o povo explorado com as palavras de ordem: Fora Bolsonaro e todos os golpistas! Novas eleições com Lula candidato!

Relacionadas
Send this to a friend