Uma nova etapa na organização
Organizações de base tomam a frente em diversas comunidades e organizam politicamente a população.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
FB_IMG_1590418493238-1-1024x585
Conselho de São Matheus (SP) em mutirão. | Foto: Reprodução

Na última semana, novos Conselhos Populares foram formados por todo país. Em São Vicente (SP), o domingo foi dia de reunião de formação do primeiro Conselho na comunidade, e sua participação nos atos nacionais do dia 13/06, já esta confirmada. Já em Brasília, dois conselhos populares, Ceilândia e Varjão, tem reuniões marcadas para o inicio de suas atividades, e um boletim já foi preparado.

Em outras partes do País, mutirões estão sendo realizados em dezenas de comunidades, e em Florianópolis, já discute-se uma data para a formação do segundo Conselho no estado.

Contudo, além destas notícias que reforçam a popularidade da campanha e sua ampla aceitação pelos trabalhadores, a atividade dos Conselhos Populares vem evoluindo também na mobilização e organização política dos moradores. Em diversos locais, boletins como a “Voz do Bairro” no Ribeirão Fresco, em Blumenau (SC), já circulam há cerca de 1 mês.

Junto aos restaurantes de campanhas, realizados por Conselhos em Boqueirão (PR) , São Félix (BA) e Ribeirão Fresco (SC), distribui-se uma série de materiais políticos e promove-se o debate com a população. A função primordial do Conselho é justamente servir como ferramenta de organização política da população e não um mero recursos assistencialista, devido a isto, toda a atividade necessita ser politizada, desde as reuniões semanais às atividades de campanhas.

Com esta campanha geral, um contato mais direto com a população é possível, e revela-se assim, uma realidade infinitamente pior do que a retratada pela imprensa burguesa. Tal fato foi notado sobretudo em dados, no Conselho Popular de Blumenau, onde constatou-se que que mais de 80% dos moradores, sequer tinha acesso à luz própria ao fazer o cadastramento. E, como representação simbólica desta situação, calculou-se que para atingir 30 mil reais, um salário de um funcionário público do Planalto no DF, precisaria-se de pelo menos 70 adultos.

Sendo assim, o próximo passo que está sendo dado pelos Conselhos é a da mobilização para as inúmeras manifestações que surgem em todos os locais, pelo Fora Bolsonaro e contra o golpe militar. Além de São Vicente, demais Conselhos organizam as comunidades que representam para participar em bloco nos atos de domingo e no dia 13/06, o ato nacional pelo Fora Bolsonaro.

Caravanas estão sendo preparadas rumo às capitais, onde concentram-se a maioria dos atos. Os Conselhos Populares acompanham a nova etapa da mobilização no país.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas