Prefeitura atende às pressões
O povo organizado tem uma força poderosa, e com ela obriga as autoridades públicas a atender às suas reivindicações
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
conselho777
Reunião do Conselho Popular de São Félix do Coribe (BA) | Foto: DCO

A  organização dos moradores do bairro Alto da Bela Vista, principalmente os da Cabeça de Boi, ao começarem a participar de reuniões onde todos os problemas coletivos eram colocados e discutidos, levou à formação do Conselho Popular de Saúde. Com o objetivo de pressionar as autoridades públicas a resolverem os problemas do povo, o órgão foi criado na cidade de São Félix do Coribe, interior da Bahia, tem feito intensas atividades no seio da população.

 

Para mobilizar todo o bairro foi lançado um manifesto com  as reivindicações dos moradores para enfrentarem o Coronavírus. Foram 17 exigências cobradas diretamente ao prefeito municipal. 

A principal reivindicação do conselho para evitar a fome durante a pandemia foi que a prefeitura criasse um restaurante para alimentar três vezes ao dia os moradores do bairro. O que de imediato foi negado com argumentos fajutos de falta de dinheiro.

Chepa Ribeiro (PP) disse que era impossível a prefeitura distribuir refeições durante a pandemia, então o Conselho continuou se reunindo e criou o Restaurante de Campanha que vem servindo almoço todos os sábados. Trata-se de um sucesso, com pratos diversificados e saborosos, passando por feijoada  e sarapatel.  Tudo isso feito com os próprios recursos e dedicação dos conselheiros. Se um grupo de pessoas pobres consegue fazer mais de 300 pratos por sábado, muito mais força tem a prefeitura municipal.

O  restaurante é uma das principais reivindicações do conselho porque a fome está se aproximando, várias pessoas desempregadas, casas inteiras sustentadas por uma aposentadoria Isso tudo provocado pela política criminosa de Bolsonaro.

Quando os conselheiros discutiram e denunciaram o auxílio estudantil de menos de 10 reais, milhares de jornais foram distribuídos explicando a política criminosa desse valor.  Essa tentativa de ludibriar as pessoas foi desvendada e amplamente divulgada no jornal Voz do Bairro

Esse jornal está mobilizando as pessoas e a opinião pública. Desde o manifesto até a denúncia do corte pela metade do auxílio emergencial, tudo é vastamente publicizado e o periódico já está na sua oitava edição, como instrumento de força e pressão sobre as autoridades públicas.

O prefeito, sentindo-se pressionado e para ganhar apoio popular visando a reeleição depois do escândalo do vale estudantil de R$ 7,22,  criou o restaurante da prefeitura, que agora serve almoço de segunda a sexta-feira. O Conselho e o povo de São Félix precisa garantir que ele seja permanente, não só agora no período eleitoral, e que se amplie por todos os bairros.

Esse almoço é produto da criação do Conselho, que fez mais de 30 reuniões na Rua da Cerâmica, reunião com o prefeito, distribuição de mais de 3 mil jornais, cartazes, adesivos, manifestações pelo Fora Bolsonaro, sendo um verdadeiro exemplo de união e mobilização dos trabalhadores. Foi graças a isso que, pela primeira vez na história da cidade, a prefeitura se viu obrigada a criar um restaurante que atendesse à população pobre.

A criação do conselho pressionou o prefeito a agir, justamente em um ano eleitoral, no meio de uma pandemia. Chepa Ribeiro está sendo obrigado a alimentar a população pobre. Como o que ele quer são os votos e não o atendimento solidário, está usando o próprio comitê e fora do bairro Belô. Ou seja, quando finalmente sai dinheiro dos cofres da prefeitura para os que precisam o prefeito quer tirar vantagens da própria situação que ele ajudou a criar.

O local que foi escolhido para servir de restaurante é bem localizado para uma publicidade estatal, ao lado da principal avenida, com amplo local para comício, uma verdadeira propaganda eleitoral. Por isso a pressão vai continuar até que quem mora na Bela Vista seja alimentado no próprio bairro. Inclusive, foi sugerido usar a escola João de Deus.

É importante frisar que o cardápio servido foi copiado do restaurante popular, por isso é bom, mas há denúncias de que a quantidade servida dá para alimentar apenas crianças de menos de 10 anos e que têm funcionários mal educados chamando as pessoas de “passa fome” ao tentarem levar comida para todos da casa com vasilhas grandes.

Comprovando o que esse jornal vem dizendo: dinheiro tem, e tem muito dinheiro, só que vai tudo para as mãos dos empresários e banqueiros. Basta o povo se organizar e ser perseverante, firme, que é possível arrancar o que for preciso das mãos desses governos direitistas.

Nenhum acordo com a direita, o conselho já surgiu fazendo a campanha pelo Fora Bolsonaro, com membros participando de dois atos contra esse governo assassino. Essa independência fez correr os oportunistas, que se distanciaram e ninguém teve coragem de aparecer nas reuniões e atividades fazendo demagogia eleitoral.

Essa vitória mostra que os trabalhadores do bairro Bela Vista estão no caminho certo e serve de exemplo para todos os outros Conselhos Populares pelo Brasil, pois com organização e luta vai ser possível evitar que as pessoas passem fome.

https://youtu.be/2yI3gMpfVEY

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas