Burocracia sindical
PSTU/Conlutas anuncia que irá fechar o sindicato no momento em que os trabalhadores estão sendo mais atacados pelos patrões.
sindicato metalurgicos pstu
Sede do Sindicatos dos Metalúrgicos de São José dos Campos fechada. | Foto: reprodução
sindicato metalurgicos pstu
Sede do Sindicatos dos Metalúrgicos de São José dos Campos fechada. | Foto: reprodução

No dia 15 de janeiro, o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região, filiado a CSP Conlutas anunciou o fechamento do sindicato diante do agravamento da pandemia de coronavírus e do caos sanitário em São José dos Campos e em todo o país.

Desde o início da pandemia, a principal preocupação do Sindicato é a vida dos trabalhadores. Nós estamos testemunhando um novo pico da doença, por isso, não nos furtaremos de propor medidas que possam preservar às vidas em nossa categoria”, afirma o presidente do Sindicato, Weller Gonçalves.

O Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos é ligado ao PSTU e a central sindical de brinquedo CSP Conlutas, sendo o maior e mais importante sindicato da entidade, e com o agravamento da crise econômica em decorrência da pandemia de coronavírus e a vinda de demissões e fechamento de fábricas, o sindicato se mostrou completamente paralisado e correndo atrás da direita.

E no momento em que os trabalhadores estão mais necessitando do sindicato, os burocratas sindicais fecham e não fornecem um tratamento adequado para os trabalhadores.

 

Decisão conjunta com o PSDB

 

A decisão dos burocratas do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos de fechar o sindicato vem de maneira conjunta com a direita da cidade. Na nota emitida pelo sindicato diz que “A medida ocorre também devido ao endurecimento da quarentena na cidade, anunciada pelo prefeito Felicio Ramuth, nesta sexta-feira (15). Com o aumento exponencial de casos e internações, São José entrará na fase vermelha do Plano São Paulo a partir de segunda”.

O prefeito Felicio Ramuth é um elemento conhecido da direita da cidade e faz parte do PSDB do município. Essa é mais uma demonstração de que a esquerda e os sindicatos sempre estão a reboque do que a direita diz e que sua imprensa burguesa propagandeia.

Sem entrar na discussão sobre o isolamento social, os sindicatos são serviços essenciais para o trabalhador e não deveria estar fechado no momento em que a classe operária está sofrendo os maiores ataques dos patrões e da direita. E na região, as demissões e privatizações se encontram numa crescente e o sindicato fechado contribui com os patrões.

 

Quando a situação fica mais grave para os trabalhadores, sindicato fecha as portas

 

É publico e notório que os trabalhadores estão passando um dos maiores ataques do ultimo período. Além dos ataques a seus direitos realizados após o golpe e que se intensificou com o governo do presidente ilegítimo Jair Bolsonaro, a pandemia está levando a muitos ataques contra os trabalhadores.

Com o recuo da esquerda e o fechamento de sindicatos, os patrões iniciaram uma ofensiva para atacar os trabalhadores, atacando salários e aumentando o assédio moral contra os trabalhadores.

Os sindicatos são serviços essenciais para o trabalhador que não possui nada além do sindicato para enfrentar os patrões. Casos de contaminação, falta de equipamentos de proteção individual para os trabalhadores, linhas de produção com aglomeração de trabalhadores e outras coisas, os sindicatos deveriam estar não somente abertos, mas seus sindicalistas cada vez mais ativos. Deveriam estar passando de fábrica em fábrica, conversando com os operários e mobilizando os trabalhadores.

Ao contrário do que a burguesia propaga em sua imprensa venal, grande parte das contaminações de coronavírus não são porque as pessoas estão indo em festas ou coisa do tipo. A maior parte das contaminações estão ocorrendo porque os trabalhadores estão sendo obrigados a trabalhar em condições completamente inadequadas. Por exemplo na linha de produção, nos refeitórios superlotados e no transporte de suas casas até as fábricas.

Fato que somente reforça que sindicatos são serviços essenciais e devem ficar abertos durante toda a pandemia.

 

Sindicatos fechados para os trabalhadores e abertos para a direita golpista

 

Enquanto a burocracia sindical do PSTU e da Conlutas fecham os sindicatos para o trabalhador em decisão que acompanha a direita tucana do município, tomaram a decisão pelega de “fornecer” a estrutura do sindicato para a vacinação. Uma total demagogia.

A nota do sindicato diz: “O Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, filiado à CSP-Conlutas, colocou sua estrutura à disposição do governo estadual e de prefeituras da região para dar suporte à campanha de vacinação contra a Covid-19.  A iniciativa é uma forma concreta de ajudar a salvar vidas e levar vacina com mais rapidez para a população”.

A decisão do sindicato pode parecer uma medida favorável para os trabalhadores, mas não passa de demagogia e uma profunda confusão sobre o papel do sindicato. A decisão da direção do sindicato ligado aos revolucionários e combativos do PSTU e da Conlutas revela que estão transformando o sindicato em um aparato do estado e não de luta do trabalhador.

A prefeitura desses municípios onde atuam o sindicato dos metalúrgicos possuem muita estrutura para realização da vacina e fornecer o sindicato é apenas uma medida para enganar os trabalhadores que os sindicalistas estão fazendo alguma coisa na pandemia. Fazem isso para não terem que abrir o sindicato para defender os trabalhadores e lutar contra a direita e os patrões.

Em vez do sindicato vacinar, deveriam estar mobilizando os trabalhadores para garantir condições adequadas de trabalho e atendimento de qualidade de saúde em caso de contaminação. Essa política de fechar os sindicatos e esperar a vacina para mobilizar os trabalhadores indo nas bases, fábricas e bairros populares denunciando e apontando um programa de luta foi o responsável por inúmeras derrotas. Tanto é assim, que o governo Bolsonaro e a direita no Congresso Nacional está se aproveitando do recuo das entidades de esquerda, partidos políticos, movimentos sociais e sindicatos para realizar os ataques que não conseguiram até o momento.

É preciso denunciar a burocracia sindical ligada ao PSTU e a Conlutas do sindicato dos metalúrgicos de São José dos Campos que está paralisando totalmente a luta contra os patrões e beneficiando a direita golpista.

Relacionadas
Send this to a friend