Conheça o futuro governador: 10 ataques de Doria contra os paulistanos

brasil-eleicoes-politica-joao-doria-20181009-0001

A fraude eleitoral se efetivou não somente no plano Federal, mas também no plano Estadual. A eleição de João Doria para o governo do Estado de São Paulo bem o mostra. Figura extremamente impopular, sua rápida, porém nefasta, passagem pela prefeitura de São Paulo o tornou uma das personalidades políticas da direita mais odiadas da cidade e do país.

A eleição deste elemento da burguesia golpista, efetivada por grandiosa manipulação e fraude realizada pelas máquinas eleitorais dos Partidos da direita golpista tradicional e pela extrema direita,  corresponde à necessidade da burguesia golpista de aplicar uma política neoliberal radical neste que é o Estado mais rico do país, bem como reprimir o movimento operário e popular, que pelas características do desenvolvimento do Estado tornou-se o mais poderoso e organizado país. É preciso se opor intransigentemente a este ditador de arrabalde ilegitimamente eleito, Fora Doria! abaixo a fraude eleitoral!

Doria foi “eleito” para aplicar uma política de guerra contra a população do Estado e dilapidar o patrimônio e os serviços públicos entregando-os ao capital privado. O potencial destrutivo desta figura odiosa é ilimitado, e para o comprovar destacamos dez atrocidades cometidas por Doria em sua passagem pela prefeitura, que revelam o sentido da política da direita.

 

1- Doria quis dar ração como merenda para crianças da rede Municipal e para a população pobre.

O pobre tem fome, o pobre não tem hábito alimentar”, com essa consideração abertamente fascista, Doria quis justificar a sua tentativa de distribuir “ração humana”, que chamou de farinata, produto feito de restos de comida, para a população pobre e até mesmo nas escolas da rede Municipal. Após a reação popular extremamente negativa, Doria acabou desistindo projeto.

 

2 – Tirou o leite de mais de 690 mil crianças e adolescentes pobres.

Uma das medidas da política neoliberal de Doria , e bastante alardeada por ele é o “corte de gastos públicos”, evidentemente que trata-se de um eufemismo. Essa política nada mais é do que eliminar os serviços públicos, os programas sociais, ou seja, tudo que seja de interesse dos trabalhadores, do povo. Doria, por exemplo, cortou mais da metade das verbas do programa Leve Leite, que atende a população carente, corte que teve como resultado quase 700 mil crianças e adolescente sem leite na cidade.

 

3 – Mandou demolir um prédio mesmo com pessoas dentro.

Após expulsar usuários de drogas do local conhecido como Cracolândia, Doria mandou demolir uma prédio da região, no entanto, este prédio e colado a vários imóveis, praticamente fazem parte, porém, como se trata da população pobre, começou-se a demolição mesmo com as pessoas morando em um dos imóveis colados ao prédio, o resultado foram três pessoas feridas e hospitalizadas. Doria qualificou a demolição como “um sucesso”

 

4 – Em conluio com o judiciário montou uma operação para censurar seus críticos nas redes sociais.

Durante sua passagem pela prefeitura de São Paulo, montou uma operação para cercear a liberdade de expressão da população, contratou pelo menos 20 advogados para monitorar as redes socais e chantagear e

ameaçar de processo judicial quem se manifestava contra ele.

 

 

5 – Inimigo da cultura: mandou pintar de cinza grafites tradicionais que embelezavam a 23 de Maio.

Inimigo da cultura e em especial da cultura popular, Doria mandou pintar de cinza tradicionais pinturas em muros e painéis urbanos (grafites) que embelezavam a cidade. Meses depois disse ter avaliado mal a questão.

 

 

 

6 – Fantasiou-se de gari, mas deixou a cidade mais suja.

Como um demagogo que é, Doria fantasiou-se de gari para iniciar o seu programa  Cidade Linda, que seria para ampliar os serviços serviços zeladoria e limpeza da cidade. Ao fim de 2017, ano de sua gestão, constatou-que que os índices de zeladoria foram piores que os do ano anterior.

 

 

7 – Colocou funcionários da prefeitura para acordar mendigos com água fria em pleno inverno.

Parte da perseguição à população em situação de rua, Doria mandou jogar água fria nos moradores de rua em pleno inverno, o que pode configurar inclusive tentativa de homicídio.

8 – Pôs em prática um plano para entregar o patrimônio da cidade, empresas, prédios, serviços aos seus amigos empresários.

Anunciou o maior programa de privatizações de São Paulo. O prefeito quer realizar 55 privatizações e PPPs leiloando a cidade à iniciativa privada.

 

 

 

 

9 – Proíbe crianças de repetir merenda na escola marcados com tinta na mão.

Proibiu as crianças da escola pública de repetir as refeições, marcando a mão de quem já comeu com um carimbo.

 

 

 

10 – Cortou verba da saúde, paralisando as obras nos hospitais de Parelheiros e Brasilândia.

Cortou a verba da saúde e, com isso, paralisou as obras nos hospitais Brasilândia e Parelheiros, que atendem parte da demanda das periferias norte e sul da cidade.