Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
lula com a camisa do carteiro
|

Nos dias 31 de maio a 02 de junho foi realizado em Brasília/DF o 13° Congresso Nacional dos Trabalhadores dos Correios da Fentect (Federação Nacional dos Trabalhadores dos Correios).

O Congresso contou com a participação de mais de 300 delegados de todos os estados do País, em sua maioria diretores sindicais, representando carteiros, ott´s (Operador de Triagem e Transbordo) e atendentes comerciais (funcionários de agências dos correios).

O Congresso foi organizado pela diretoria da Fentect para não aprofundar nenhum debate importante, mas apenas para fazer a eleição da nova diretoria da Fentect, chegando ao ponto de suprimir a discussão sobre análise de conjuntura.

No entanto, os militantes do PCO (Partido da Causa Operária) levaram até o Congresso a campanha pela libertação de Lula e contra o golpe de estado, distribuindo cartazes e folhetos.

E no ponto de campanha salarial da categoria, o companheiro Edson Dorta, militante do PCO apresentou como eixo de campanha salarial dos trabalhadores dos Correios esse ano, a defesa da liberdade de Lula.

Como de costume em toda campanha contra o golpe e os golpistas, os militantes do PSTU se colocaram afavor da prisão de Lula e contra realizar a campanha de liberdade de Lula dentro dos Correios.

O sindicalista do PSTU, Heitor Fernandes, do RJ, por exemplo, defendeu que Lula deveria estar preso, pois teve uma política de conciliação de classe, e que portanto esteve com os corruptos e tudo indica que é corrupto, ou seja, usando o mesmo discurso fraudulento da direita, da Operação Lava Jato. E por fim criticou de forma cínica a militância do PT que não defendeu seu líder.

Na defesa a favor da campanha pela liberdade de Lula, o companheiro Edson Dorta lembrou que o PSTU e próprio Heitor Fernandes tem uma política de conciliação de classes nos correios, assinando quase todos os acordos coletivos contra a categoria, como a mudança da data base de dezembro para agosto, o PCCS da escravidão e por fim o último acordo que entregou o plano de saúde para o TST definir, Nem por isso, os trabalhadores dos correios deveriam apoiar a prisão e perseguição política dos militantes do PSTU, ou de qualquer grupo que se reivindica da esquerda, pela direita golpista e inimiga dos trabalhadores.

A defesa da liberdade de Lula não tem haver com a política que ele faz ou pode vir a fazer, mas com um princípio de classe, o de se colocar contra a direita, os golpistas e contra o imperialismo, que de forma ilegal, utilizando a operação golpista da “Lava Jato” prendeu Lula sem provas para poder roubar o país, privatizar as estatais como os Correios e destruir as organizações populares e operárias no Brasil.

Por fim, os trabalhadores delegados do Congresso votaram de forma esmagadora pela campanha de Liberdade de Lula nos Correios. Somente uma dezena de delegados que estavam na bancada do PSTU/Conlutas votou contra, mesmo assim, alguns militantes envergonhados do PSOL que estavam nessa bancada, abstiveram e declararam seu voto pedindo desculpa para o PSTU e para aqueles que eles enganam dizendo que defende a democracia.

Agora é necessário que a campanha pela liberdade de Lula seja discutido nos Correios, uma das empresas públicas ameaçadas a desaparecer se o golpe de estado não for derrubado no país.

 

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas