Meros capachos, “X-9”
Deputado bolsonarista anuncia que Bolsonaro enviou dossiê com dados de antifascistas à embaixada dos EUA expondo o caráter de agentes do imperialismo do governo
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
bolsonaro bandeira EUA
Presidente ilegítimo em ato com apoiadores de sua política antipatriótica | Foto: Andre Borges/NurPhoto via Getty Images

O deputado estadual bolsonarista Douglas Garcia (ex-PSL, hoje PTB), apontado com um dos principais aliados da família Bolsonaro em São Paulo, declarou à Justiça que o deputado federal e filho do presidente ilegítimo Eduardo Bolsonaro entregou a cópia de um dossiê contra militantes antifascistas para a Embaixada dos Estados Unidos.

O suposto dossiê, feito informalmente, não é resultado de investigação oficial e não foi feito com base em qualquer decisão judiciária, com base na violação da Constituição Federal, algo muito comum no atua regime de exceção. É por si só uma medida ilegal e arbitrária feita por um regime de exceção que, como vem sendo denunciado recentemente, vem investigando trabalhadores e ativistas por suas posições políticas contrárias ao atual governo fascista.

O próprio deputado paulista foi foi acusado, no último mês de junho, de produzir o documento com dados pessoais de manifestantes que participaram de um protesto pelo Fora Bolsonaro e pela expulsão da direita fascista das ruas, em 31 de maio, na Avenida Paulista, no qual uma parcela dos manifestantes se autodeclaravam “antifascistas” .

Segundo ele o “dossiê” reuniu 56 laudas e dados pessoais, inclusive fotografias, de quase mil pessoas. Agora, ele negou à  Justiça que tivesse participado da elaboração e da divulgação do dossiê, mas admitiu que o encaminhou para autoridades. Como um verdadeiro agente dos órgãos de repressão da ditadura, o deputado declarou que

Os grupos subversivos e violentos ‘antifas’ atuam em diversos países e, em todos eles, seguem o mesmo modus operandi, que consiste no uso de violência e outros crimes para intimidar, calar e eliminar fisicamente grupos ou indivíduos não alinhados à sua visão política

A “confissão” do deputado evidencia que os Bolsonaros – e todo o seu governo, incluindo os militares que se autoproclamam patriotas –  atuam como mero funcionários do governo dos EUA, autênticos vende-pátria, inimigos do povo brasileiro, atuam contra o Brasil e os brasileiros a favor dos EUA e do grande capital imperialista.

Fica escancarado também o fato de que o governo dos EUA – comprovadamente envolvido no golpe de Estado que derrubou a presidenta Dilma Rousseff, em 2016, e colocou o ex-presidente Lula na cadeia, continuam por detrás de todo o tipo de repressão e perseguição fascista no Brasil.

Contando com o apoio dos capachos bolsonaristas e de outros setores da direita golpista, o governo norte-americano, está envolvido diretamente em toda operação para por fim às manifestações contra o governo, no que tiveram apoio de setores da esquerda burguesa e pequeno burguesa ligados à frente ampla que agiram para por fim às manifestações de rua, principalmente, na Avenida Paulista, como foi o caso do candidato à prefeito do PSOL, Guilherme Boulos e outros setores que endossaram acordo com a PM, MP e governo Dória, nessa “missão” estabelecida pelo imperialismo: combater as manifestações da esquerda e dos adversários políticos do regime e do imperialismo.

Bolsonaro e sua turma são meros fantoches colocados no governo pelo imperialismo e precisam ser derrubados, porque são uma quinta-coluna a serviço da espoliação do Brasil pelos monopólios.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas