Conferência dos Bancários do Centro-Norte aprova a organização para a greve geral do dia 14 de junho
greve
Conferência dos Bancários do Centro-Norte aprova a organização para a greve geral do dia 14 de junho
greve

Entre os dias 5 e 7 de junho realizou-se, em Brasília, a 12ª Conferência Regional do Bancários do Centro-Norte, organizada pela Fetec-CUT/CN (Federação dos Trabalhadores em Empresas de Crédito do Centro Norte). Dentre as diversas pautas importantes em relação às lutas dos bancários no próximo período debatido na conferência, a de maior destaque foi a deliberação dos delegados em orientar os sindicatos filiados à federação em realizar assembleias e aprovar a participação da categoria na greve geral do próximo dia 14.

A categoria bancária tem sido alvo do aprofundamento dos ataques dos banqueiros e seus governos. Logo após o processo golpista que derrubou a presidenta Dilma Rousseff no reacionário Congresso Nacional, golpe esse que teve como um dos grandes financiadores os banqueiros nacionais e internacionais, o objetivo é expropriar os trabalhadores e toda a população em geral para beneficiar os capitalistas em crise.

Fechamento de centenas de agências, demissão em massa, terceirização, privatização, descomissionamentos, assédio moral, ataques aos planos de saúde e previdenciários, etc., são parte dessa ofensiva dos banqueiros contra toda a categoria.

Várias lideranças sindicais, tanto regional com nacional, estiveram presente na conferência com destaque para o presidente da CUT nacional, Vagner Freitas, que caracterizou a importância de “fortalecer o movimento sindical, que teve participação importante nas manifestações dos dias 15 e 30 de maio, mas que a mídia escondeu. ‘É importante que os sindicatos retomem o protagonismo no confronto com o governo Bolsnonaro e se fortaleça, assim como outros movimentos sociais’”(site Fetec/CUT/CN 06.06.19), a presidenta da Contraf/CUT (Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro), Juvandia Moreira, que também esteve presente, quando da sua participação na conferência declarou que “temos um governo fascista que ataca os direitos dos trabalhadores, está desmontando todas as políticas sociais, entregando a soberania nacional e não tem projeto de nação. Tem uma política econômica recessiva, com aumento do desemprego e previsão do PIB cada vez mais para baixo, e que por isso cada vez mais encontra resistência. Nosso desafia é acentuar a insatisfação e acumular forças” (idem).

A deliberação aprovada na 12ª Conferência da Fetec/CUT/CN vai na esteira da convocação dos sindicatos, partidos, organizações estudantis e movimentos populares diversos que estão chamando um dia de paralisação e de manifestações no próximo dia 14, dia da greve geral, contra o governo fascista/ilegítimo, Bolsonaro e todas as medidas contra a classe trabalhadora e toda a população.

Fora Bolsnonaro e todos os golpistas, Eleições Gerais, Liberdade para Lula.