CONEG: estudantes devem organizar a luta contra o Escola Com Fascismo e a militarização bolsonarista

juventude-UNE-democracia-manifesta----o-Foto-UNE-2

Começa na próxima sexta-feira (22) e vai até domingo (25), em São Paulo, o  67° CONEG (Conselho Nacional de Entidades Gerais) da UNE. O conselho tem como propósito organizar a resistência por uma educação democrática e colocará em pauta questões como: acesso e permanência estudantil e a defesa da autonomia universitária, a luta contra a reforma da previdência e os ataques do governo Bolsonaro, Educação não é mercadoria – a luta nas universidades privadas, enfrentamento ao racismo e o genocídio da juventude negra, encontro de redes e linguagens, o papel da comunicação na luta popular e Combate ao machismo e a luta das mulheres.

A pauta em destaque é o principal ataque do governo golpista de Jair Bolsonaro contra a educação: o projeto Escola Sem Partido (Escola Com Fascismo). Quanto a esse tema vale ressaltar que equivale a amordaçar estudantes e professores que sejam contra o atual “governo”, ou seja, censurar e punir quem é contra o fascismo e todos os ataques que serão implantados à população com a ascensão do mesmo.

É necessário que esse conselho organize o enfrentamento contra os grupos fascistas que se encontram nas universidades formando comitês de luta contra o golpe e de autodefesa para que esse enfrentamento tenha sucesso. É preciso ainda que o conselho inicie uma luta contra a militarização das escolas e se organize para expulsar a extrema-direita das instituições de ensino.

Só a luta organizada dos estudantes e trabalhadores poderá barrar a ofensiva fascista contra a educação e toda a população. Conseguindo assim, após a derrota do golpe de estado, garantir de fato uma educação democrática no país.