Condenação por injúria racial no Piauí: o racismo deve ser combatido pelo Movimento Negro, não pela repressão do Estado

delzuite-3

No último dia 16 de abril, mais um caso de repressão do Estado burguês pode ser percebido no Piauí, com a prisão da dentista Delzuite Ribeiro de Macedo, de 31 anos, acusada por injuria racial e racismo a sua colega de profissão, Thaiane Ribeiro Neves e sua filha, de dois meses de vida. Os ataques foram feitos através das redes sociais, com mensagens como: “Já vi que você saiu da senzala, porém a senzala ainda não saiu de você” e “Não me interesso por gente que nunca chegará ao meu tom de pele”.

A dentista, segundo laudos médicos, sofre de transtornos mentais e responde a outros três processos na Justiça. No que tange a este caso, o juiz Carlos Alberto Bezerra Chagas, da 1ª Vara da Comarca de São Raimundo Nonato condenou Dezuite a dois anos e quatro meses de prisão por injúria racial e racismo, além de três meses de detenção pelo crime de tentativa de lesão corporal leve, podendo recorrer em liberdade.

É importante frisar que não vai ser através do aparato repressivo do estado burguês que se encontrará alguma solução para o racismo. A mesma polícia que prendeu Delzuite massacra o povo negro, a exemplo do músico Evaldo Rosa dos Santos, de 51 anos, que foi executado com 80 tiros de fuzil em uma ação de militares do Exército, em Guadalupe, no Rio de Janeiro, na tarde de domingo (07). Apenas através da luta contra o golpe, nas ruas, e do fortalecimento do movimento negro é que será possível combater este tipo de ação.