Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
bolsonaro
|

 Por Vitor Teixeira

Não é tão absurdo. Por mais demagógico e farsesco que seja o discurso do capitão da reserva, ele apresenta uma proposta de ruptura contra o regime vigente, “contra o establishment”, nas palavras do candidato. Sabemos que seu plano de governo é cheio de vícios neoliberais, mas na hora do debate ele terceiriza a burocracia “para o Paulo Guedes”, e foca na política, diferente dos tecnocratas da esquerda.

Num Brasil polarizado, a esquerda pequeno-burguesa trilhou um caminho legalista, moderado, bancando modestas reformas por dentro das instituições, trocando questões sociais por questões culturais, e se desmoralizando em acordos com a direita “democrática”. Contra o impeachment? A via legal. Contra a prisão de Lula? A via legal.

Nunca as massas, nunca as ruas. Já Bolsonaro, com sua particular truculência, vem apontando um caminho para fora desse regime falido. O “mito” ridicularizou a Rede Globo, voz oficial do regime, em pleno Jornal Nacional, coisa que ninguém desde Brizola ousou fazer. Pode ser blefe, pode ser mentira, mas como a esquerda não propõe uma ruptura, seja através da mobilização popular, seja através de um movimento revolucionário, o povo olha pro fascismo e diz: “num tem tu, vai tu mesmo”.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas