Desde o movimento estudantil
A trajetória do atual presidente cubano começa no movimento estudantil, ainda na década de 1980
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Salvador Sanchez Ceren recibe a VicePresidente de Cuba, Miguel Diaz Canel.
Miguel Mario Díaz-Canel Bermúdez | Foto: Salvador Sanchez

Miguel Mario Díaz-Canel Bermúdez nasceu em Villa Clara, no dia 20 de abril de 1960, pouco mais de um ano após a vitória da Revolução.

No dia 19 de abril de 2018, tomou posse como presidente do Conselho de Estado e de Ministros, e é presidente da República de Cuba desde 10 de outubro de 2019.

Embora a escolha de seu nome possa ter surpreendido gente de fora, sua trajetória justifica plenamente que ele ocupe o cargo mais alto da nação.

Formado em engenharia, em 1982, pela Universidade Central de Las Villas, é professor universitário e pertence às Forças Armadas Revolucionárias Cubanas, promovido a tenente-coronel no ano 2000. Entre 1987 e 1989, foi cooperante internacionalista na Nicarágua.

Começou sua militância cedo, ocupando cargos nas organizações estudantis em todos os níveis de ensino. Como membro da UJC (Unión de Jóvenes Comunistas), atuou desde a base, até exercer cargos de direção. Posteriormente, como militante do PCC (Partido Comunista de Cuba), em 1993 tornou-se membro do Bureau Provincial de Villa Clara, e em 1994 tornou-se Primeiro Secretário do Partido na Província. Posteriormente, em 2003, por decisão da direção nacional, passou a exercer o mesmo cargo na Província de Holguín. É membro do Comitê Central do Partido desde 1997.

Em 2009, tornou-se Ministro de Educação Superior, e em 2012 foi designado Vice-Presidente do Conselho de Ministros. Em 2013, passou a Primeiro Vice-Presidente dos Conselhos de Estado e de Ministros.

Sempre houve muita especulação sobre o que aconteceria com Cuba e o processo revolucionário, quando já não estivesse presente seu líder inquestionável, Fidel Castro. Seu sucessor, Raúl Castro, exerceu o cargo máximo do país de forma mais discreta, mas realizou várias mudanças importantes, como as da lei de imigração e de transmissão de propriedade.

Díaz-Canel tem a missão de seguir com as mudanças necessárias, para a continuidade da Revolução. Durante a crise da Covid-19 confirmou sua capacidade para liderar o país. É enérgico, exigente, está presente em todos os momentos importantes, conhece bem a realidade do povo e infunde confiança.

Graças a decisões rápidas e inteligentes, um enorme esforço do país e a fortaleza de um sistema de saúde universal, público e gratuito, Cuba já está na etapa pós-Covid-19.

Agora, com a Estratégia Econômico-Social para a recuperação da economia e retomada do crescimento, anunciada em 16 de julho, começa uma nova etapa para o país, com mudanças econômicas para assegurar as conquistas sociais e continuar se desenvolvendo. E o povo de Cuba confia na liderança de Díaz-Canel e do PCC, para enfrentar esse desafio.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas