46ª Universidade de Férias
Nas duas primeiras aulas, Rui Costa Pimenta abordou o papel histórico do stalinismo e caracterizou o fenômeno da burocracia.
maxresdefault-1-p0xm6b9v9zgeysj49c83txn4nyowc6zog6nzqyptls
Cartaz de divulgação do curso sobre o stalinismo | Reprodução
maxresdefault-1-p0xm6b9v9zgeysj49c83txn4nyowc6zog6nzqyptls
Cartaz de divulgação do curso sobre o stalinismo | Reprodução

Na semana passada, as duas primeiras aulas do curso “Stalinismo: uma análise marxista” foram ministradas pelo companheiro Rui Costa Pimenta.

Na terça-feira (5), aconteceu a abertura do curso. Rui Costa explicou sobre a metodologia do curso e papel histórico do stalinismo de um ponto de vista geral.  Assista a aula nº 1: https://universidademarxista.pco.org.br/topic/aula-1-ao-vivo-comeca-as-1830/

O papel da burocracia e sua caracterização política e social foram discutidos na segunda aula, ministrada na quinta-feira (7).  Discutiu-se as principais características da burocracia stalinista, bem como do fenômeno da burocracia em geral nos países capitalistas e nos Estados Operários. Diversos exemplos históricos serviram para esclarecer o tema. Assista a aula nº2: https://universidademarxista.pco.org.br/topic/aula-ao-vivo-clique-aqui/

No total, a 46ª Universidade de Férias do Partido da Causa Operária bateu de mil inscritos. Isto significa uma vitória para o partido, que aumenta sua influência no interior da militância de esquerda. É urgente o esclarecimento político sobre o stalinismo, pois este assunto é um fator gerador de muita confusão. A imprensa capitalista e as instituições burguesas – escolas, universidades, partidos burgueses – levam adiante uma intensa propaganda para associar o stalinismo com o socialismo, de forma a gerar ceticismo e desilusão. A ideia é passar a impressão do socialismo ou comunismo como sinônimos de uma ditadura totalitária, repressão política, miséria, despotismo de uma burocracia parasitária e campos de concentração.

É preciso aproveitar esta oportunidade ímpar para se compreender o desenvolvimento histórico do século XX por um viés marxista. O companheiro Rui Costa Pimenta, presidente nacional do Partido da Causa Operária, acumula 40 anos de experiência de estudo e militância pela construção de um partido operário e revolucionário no Brasil. Os participantes podem interagir ao vivo com Rui Costa Pimenta durante a aula e enviar questionamentos.

O marxismo é uma ciência e precisa ser estudada e compreendida em seus fundamentos. A análise da dialética da luta de classes é a chave do marxismo. Como todo fenômeno social, o stalinismo tem raízes históricas, um desenvolvimento e evolução. No decorrer do curso, os motivos da degeneração da Revolução de Outubro, a essência da luta política que se travou na União Soviética contra  “o trotskismo” e o por quê da vitória da burocracia ficarão esclarecidos.

Lênin afirmava que “não existe movimento revolucionário sem teoria revolucionária”. O estudo do stalinismo não é um assunto para o passado, mas sim para a compreensão do presente. A experiência da União Soviética influenciou decisivamente a luta de classes no século XX e continua a influenciar no século XXI.

As inscrição ainda estão abertas! Todos os inscritos têm acesso às aulas gravadas no portal da Universidade Marxista (/universidademarxista.pco.org.br). A Biblioteca Socialista contém artigos de jornal, livros e folhetos escritos por Leon Trótski no contexto da luta política contra a burocracia stalinista. O estudo da literatura é um importante complemento para aprofundar a compreensão sobre o tema.

 

 

 

 

.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Relacionadas
Send this to a friend