Pandemia
Os patrões, os governos federal, estaduais e prefeituras, utilizam-se da imprensa venal para esconder a tragédia do Covid-19 nos frigoríficos
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Entrada de frigorífico do grupo JBS/Friboi
Entrada de frigorífico do grupo JBS/Friboi | Foto: Reprodução

Desde a última terça-feira (03) está ocorrendo o 18º Encontro Nacional de Pesquisadores em Jornalismo e, o principal tema tem como objetivo debater sobre o jornalismo regional e a cobertura sobre o Coronavírus em Santa Catarina.

Na dissertação, uma tese para o debate no encontro, coloca a situação do interior de Santa Catarina, mais precisamente Concórdia e Chapecó, duas cidades de grande produção e industrialização do ramo frigorífico. Três das maiores indústrias do setor estão instaladas nessas cidades, tais como: BRF – Brasil Foods, JBS/Friboi e Aurora.

O procura relacionar a imprensa regional dessas duas cidades aos casos de coronavírus em frigoríficos, uma vez que, sendo uma região de grande industrialização de aves e suínos, onde se concentra frigoríficos com milhares de operários em cada um deles, moradores tanto nas cidades como nas cidades vizinhas, como Ipumirim, outra cidade de concentração de frigoríficos/abatedouros, no entanto, a dissertação sobre a questão mostra o total desprezo por levar tais informações.

Santa Catarina foi onde pela primeira vez ocorreu um caso de paralisação e foi envolvendo frigorífico do grupo JBS/Friboi, nas cidades de Nova Veneza e Forquilhinha, onde os trabalhadores queriam insumos, como álcool em gel, máscaras adequadas, entre outros itens, também exigiam o distanciamento dos trabalhadores e mais transportes, porque os trabalhadores, além dos ônibus irem em direção às fábricas e voltarem em direção oposta, no final do expediente, a suas casas iam superlotados. No entanto, a justiça local negou e fez com que os operários voltassem ao trabalhado, mesmo nessas condições.

Em uma mentira sem tamanho, três dias depois, o Portal Veneza, veículo local de Nova Veneza (SC), noticiou que a pedido do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Alimentação de Criciúma e Região (Sintiacr), suspendeu as atividades em dois frigoríficos da empresa JBS, nos municípios de Nova Veneza e Forquilhinha.

Somente depois da situação dentro dos frigoríficos terem se tornado uma pandemia e vários trabalhadores ficarem contaminados pelo Covid-19, após catástrofe anunciada, foi que houve a paralisação, no entanto. A suspensão deveria permanecer até que os frigoríficos negociassem com o sindicato as medidas cabíveis para salvaguardar a saúde dos trabalhadores.

A maioria da imprensa regionais repercutem o que a própria prefeitura local, através de sua assessoria de imprensa fala. mesmo as informações do Ministério Público do Trabalho que, por inúmeras vezes não esteve presente no local, ou os donos faziam malabarismos, como comumente fazem quando é anunciada alguma fiscalização, para evitar mostrar o que está escondido por debaixo do tapete, ou pelo simples fato do próprio representante da empresa passar as informações através de uma comunicação telefônica.

A repercussão das notícias na imprensa, seja regional, ou mesmo de cunho nacional, como a grande imprensa venal, como Globo, Estadão, Folha de S. Paulo, bem como Band, Record, etc., pegam o que os prefeitos, os governadores etc. divulgam, no entanto, tanto um como outro, vivem as graças desses capitalistas, seja devido às propagandas divulgadas nesses veículos de comunicação, subservientes, ou mesmo os prefeitos e governadores golpistas, bem como o fascista Bolsonaro. P

or isso conseguimos ver uma matéria da revista Globo Rural onde dizia em artigo falacioso que, “em setembro não foi registrada nenhuma paralisação de atividades de abatedouros frigoríficos sob Serviço de Inspeção Federal (SIF) por motivos relacionados à ocorrência de Covid-19”. (Globo Rural – 31/10/2020). Uma situação totalmente fantasiosa, porque, desde o início da pandemia, até agora, os trabalhadores foram e estão sendo contaminados em imensa quantidade.

Mesmo os casos dos frigoríficos de aves e suínos do grupo JBS/Friboi, onde 442 trabalhadores, segundo o Ministério Público do Trabalho (MPT) afirma ter coronavírus, os números, na realidade foge do controle, pois existe sempre a manobra dos donos dos frigoríficos para esconder realidade da hecatombe que cometem contra os trabalhadores, como forma para não diminuir o lucro de suas fábricas.

É preciso mobilizar todos os trabalhadores, tendo como objetivo uma greve nacional para defender a vida, denunciar a imprensa serviçal dos patrões e seu governo. Lutar por fora Bolsonaro e todos os golpistas, eleições gerais, e Lula candidato.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas