Lula candidato
As atividades ocorreram em todo o território nacional, de norte a sul, e até mesmo no exterior.

Por: Redação do Diário Causa Operária

Desde o início da pandemia de coronavírus, o Partido a Causa Operária (PCO) em nenhum momento abdicou da luta, da mobilização, das ações de rua. A política de prostração e imobilismo, que tomou conta completamente das principais organizações políticas da esquerda, sempre recebeu por parte do PCO o mais duro combate.

Com a escalada da crise sanitária e econômica, duas crises autônomas porém intimamente relacionadas, a necessidade da luta contra as principais forças políticas que dão sustentação ao regime se fez ainda mais presente e imperativa. O regime político de conjunto, produto do golpe de Estado de 2016, é o principal responsável pelo extermínio da população que presenciamos neste exato momento.

Não há diferenças substanciais entre Bolsonaro e os governadores ditos “científicos”: enquanto uns não fazem nada, os outros apenas encenam e fingem que fazem. Enquanto isso, a população fica espremida entre a ameaça de morrer pelo coronavírus e a ameaça de morrer de fome.

Por outro lado, a anulação das condenações contra Lula, determinada recentemente pelo ministro do STF, Edson Fachin, numa manobra desesperada para salvar a conspiração Lava Jato, colocou de maneira ainda mais premente a urgência da defesa da restituição definitiva dos direitos políticos do ex-presidente e do lançamento imediato de sua candidatura para 2022.

À luz dessas coordenadas, os Comitês de Luta, que contam com militantes do PCO, do PT e outras organizações, além de ativistas da luta contra o golpe, não ficaram sentados em casa, à espera de um milagre, e fizeram mais um final de semana de atividades de rua, com os já tradicionais mutirões .

Os mutirões reúnem militantes e ativistas para realizar atividades de agitação e propaganda e preparar o terreno para uma ampla mobilização nacional contra os golpistas e em defesa de Lula candidato. A distribuição de materiais da campanha pelo Fora Bolsonaro e todos os golpistas, bem como da campanha por Lula presidente em 2022, e a coleta de assinaturas para o abaixo-assinado que reivindica a anulação de todos os processos contra o ex-presidente estão entre as principais iniciativas realizadas nos mutirões.

As atividades ocorreram em todo o território nacional, de norte a sul. Na verdade, os mutirões organizados pelos Comitês de Luta não estão limitados pelas fronteiras nacionais. Em várias parte do mundo, a exemplo dos EUA, França, Alemanha, Finlândia, Austrália, Portugal, Inglaterra e Japão, os combatentes da luta contra o golpe também se reúnem para travar a luta.

Neste último sábado (20) e domingo (21), as atividades aconteceram em todas as regiões do país.

No Sul, os mutirões aconteceram em Paranavaí (PR), no bairro Vila Operária, e em Florianópolis (SC), no Norte da Ilha.

No interior de Estado de São Paulo, Araraquara realizou a atividade na Fonte Luminosa, e Campinas e Marília, nas suas respectivas Feiras do Rolo.

No ABCD Paulista, as atividades tiveram lugar em Mauá, na UBS Vila Magini; em Santo André, Estação de trem Prefeito Celso Daniel; em São Bernardo do Campo, no bairro de Ferrazópolis; e em Diadema, no terminal Diadema.

Na cidade de São Paulo, os mutirões foram realizados em várias pontos do município. Na Zona Leste, os militantes firmaram posição em São Miguel, no terminal central de ônibus do bairro, bem como na estação de metrô Tatuapé. Na Zona Oeste, o Comitê desenvolveu suas atividades na estação Butantã. Na Zona Norte, o mutirão ocorreu no Terminal Santana. Na região central, os Comitês fizeram atividades na famosa Rua 25 de março, no sábado, e na Avenida Paulista, no domingo.

No estado do Rio de Janeiro, as atividades aconteceram na capital, na tradicional Feira da Glória; em São Gonçalo, na Feira de Alcântara; em Volta Redonda, na Feira Livre de Santa Cecília; e em Nilópolis, na popular Feira de Domingo da cidade.

Indo para o Centro-Oeste, os mutirões atuaram em vários pontos do Distrito Federal: na rodoviária  e no Eixão Norte do Plano Piloto, e na região administrativa de Planaltina. Em Cuiabá (MT), os ativistas fizeram sua atividade no Bairro Pedra 90.

Na região Nordeste, um grande número de mutirões também foi realizado.

Na Bahia, a ação aconteceu em Feira de Santana, na Feiraguay; na capital Salvador, na feira do bairro Cajazeiras; em Porto Seguro, na Feira do Baianão; em Brumado, na Praça da Matriz; e em Santa Bárbara, também na Praça da Matriz.

No Ceará, as atividades aconteceram em Juazeiro do Norte, na Feira do Troca. Em São Luís do Maranhão, o mutirão foi realizado na Feira do Anjo da Guarda. Na Paraíba, o mutirão em João Pessoa aconteceu na Praça Solon, e em Campina Grande, no Açude Velho. Em Pernambuco, Recife e Olinda abrigaram as atividades nos bairros UR1 Ibura e Amaro Branco, respectivamente. Por fim, Teresina (PI) sediou a atividade política na Praça do Belo Vista.

Para quem possuir interesse em retirar o material da campanha ou mesmo participar das atividades, basta entrar em contato com o Partido da Causa Operária ou com o comitê de luta de sua região. As atividades são abertas para todos os interessados, filiados a partidos ou não.

O contato pode ser através do telefone 11 99741-0436 ou das páginas do Facebook, clicando aqui.

Send this to a friend