Comissão da Verdade: maioria das mortes na Nicarágua foi causada pela direita golpista

nicaragua (2)

Da redação – Em relatório da Comissão da Verdade, Justiça e Paz na Nicarágua evidenciou-se que a maioria das vítimas nos protestos orquestrados pelo imperialismo norte-americano morreu na sequência de ações criminosas realizadas pela própria direita nos bloqueios de estradas bem como em fogo cruzado.

Nomeada pela Assembléia Nacional em 6 de maio deste ano, veio para esclarecer os fatos ocorridos durante a onda de violência golpista iniciada em 18 de abril, e, na última quarta-feira (17), apresentou ao parlamento um relatório com dados sobre as circunstâncias de algumas mortes e o prejuízo dos danos causados.

O número contido neste relatório é de 269 pessoas mortas durante a violência registrada, em ações diretamente ligadas à tentativa de derrubar do governo de Daniel Ortega. Destas, foram 150 nos bloqueios de estrada impostos no país e 27 pelo fogo cruzado nos conflitos contra as forças armadas do governo.

O que chamou atenção nos vídeos divulgados à época, valendo lembrar também dos vídeos da Venezuela no período anterior, foi o armamento de alta tecnologia da “população” contra o governo. Nos dois países tiveram relatos de armamento de ponta nas mãos do “povo”, como fuzis de alto calibre e até mesmo bazucas. Assim, fica claro que, como também no Brasil, na Argentina, quem foi para a rua derrubar o governo de esquerda, progressista, foi a classe média e alta organizadas pelo imperialismo norte-americano.

O PCO, como partido operário, vem denunciando sistematicamente em sua imprensa diária, que os EUA estão articulando golpes em todos os países da América que contrapõem seus interesses de roubar petróleo, bem como, suas empresas, sua economia, e assim, escravizar a população. É preciso aumentar essa denúncia, organizar a classe trabalhadora para enfrentar a extrema-direita e barrar a ofensiva imperialista.