Repressão e violência ao povo
Sob o manto do combate à epidemia do coronavírus, governo federal e governadores estaduais impulsionam escalada vertiginosa da violência e da repressão contra a população
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
doria-e-witzel-tem-avaliacao-superior-a-de-bolsonaro-na-pandemia-foto
"Foto - Reprodução" - Dória, Witzel e Bolsonaro...irmanados na repressão à população |

A crise desencadeada a partir da chegada da pandemia mundial do coronavírus ao país deu lugar a um conjunto de situações, as mais diversas, evidenciando e colocando em relevo os graves problemas que permeiam a sociedade nacional. A questão mais candente e que emergiu com maior ênfase e notoriedade foi, obviamente, a constatação inequívoca da mais completa incapacidade do Estado em oferecer uma assistência minimamente digna e eficaz ao conjunto da população, no que diz respeito ao atendimento nos hospitais e na rede pública de saúde.

Dentre os diversos outros aspectos que foram colocados em relevo com a crise epidêmica, merece destaque toda a polêmica envolvendo a questão do isolamento social e da quarentena, medida reivindicada pelos especialistas como forma de evitar, ou pelo menos minimizar, a contaminação pelo vírus causador da Covid-19. A propósito desta questão, vale salientar que para a classe operária, para os trabalhadores e as massas populares em geral a quarentena se apresenta como uma ficção, algo inexistente, sem qualquer relação prática com o cotidiano da população trabalhadora.

Entre os desatinos e as barbaridades que vem sendo adotadas pelo Estado burguês-golpista, a pretexto e sob a justificativa do combate à epidemia, está a repressão e o ataque aos direitos e garantias individuais da cidadania. A pé-disposição da burguesia e da extrema direita em instalar no país um Estado policial vem encontrando no falso discurso de combate ao vírus uma extraordinária oportunidade para o desencadeamento da repressão e da supressão das liberdades democráticas.

Neste sentido, são vários os governadores (da esquerda, inclusive) que vem adotando as medidas repressivas, sempre a pretexto de estar buscando a “defesa e o melhor” para a população. O fato é que em nome do isolamento social, os governadores estão aplicando multas, prisões e até mesmo agredindo quem está desrespeitando o isolamento. O exemplo mais claro desta política é a ação dos governadores de direita, João Dória (SP) e Wilson Witzel (RJ).

Ao invés do método do aconselhamento e do convencimento, do diálogo com o povo, os governadores direitistas estão colocando em prática a repressão, expondo a sua verdadeira vocação ditatorial, autoritária e repressiva. “O vírus não autoriza qualquer tipo de barbaridade política. Violência estatal de forma alguma se justifica”, declarou o analista político, presidente nacional do PCO, Rui Pimenta, ao portal 247.

O fato é que o regime burguês-fascista avança aceleradamente em direção a um estado policial aberto e sem disfarces. Nos estados, a política dos governadores é não só a mesma, como alguns já fazem ameaças explícitas e diretas a quem descumprir as medidas de isolamento, colocando o aparato policial nas ruas para intimidar e ameaçar a população. Tudo isto acontece sob os olhares complacentes da esquerda, que não só não faz nada diante destes abusos, com vem colaborando com a repressão, como é caso dos governadores de estados do Nordeste, que vêem adotando a mesma política repressiva.

 

 

 

 

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas