Interesse público à venda
Bolsonaro acelera privatização da Telebrás
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Paulo Guedes - Economia (1)
Ministro golpista Paulo Guedes | Foto: Reprodução

Continuando seus planos de entrega do patrimônio público brasileiro à exploração capitalista, o governo Bolsonaro publicou no Diário Oficial da União (DOU) desta quarta (18/11) texto formalizando a inclusão da Telebrás no que os entreguistas chamam de Programa de Parcerias de Investimentos (PPI). Na prática, isso significa a aceleração da entrega da Telebrás à sanha dos financistas, que todos sabem ser o plano de todos os governos direitistas. Empresas tradicionais, comprovadamente eficientes, como Petrobras, Caixa Econômica, Correios, etc estão na mira deles por uma questão ideológica e de atendimento aos interesses burgueses.

A empresa estatal estava sob a competência da Comissão Especial de Supervisão do Ministério das Comunicações e agora passa para esse PPI que, no entanto, já vinha estudando as possibilidades de “parceria” com a iniciativa privada para a Telebrás, como informa a curta matéria da Gazeta do Povo, jornal conservador de Curitiba. Sob comando do PPI, os entreguistas planejam contratar um banco para dar seguimento prático à privatização.

Como é típico nesses jornais serviçais da burguesia, caso dessa Gazeta, que defendem as privatizações sem avisar ao povo que isso gera diminuição na qualidade e aumento dos preços dos serviços, tentando fazer ninguém perceber o que está sendo perdido, não é explicado quais são as funções e serviços que a Telebrás fornece para a sociedade brasileira (este jornaleco panfleto de rico tem até um “painel de privatizações” para pressionar os fascistas). A Telebrás tem como objetivos promover a inclusão digital por meio da ampliação da rede de banda larga; fiscalizar as empresas regionais de telecomunicações, garantindo que elas atendam ao interesse público; e garantir a segurança na rede privativa do governo, que previne, por exemplo, espionagem.

Ou seja, como nos casos da Petrobras, Caixa, Correios e outras, os fascistas pretendem entregar para a propriedade dos capitalistas a Telebrás, uma empresa criada apara atender aos interesses do povo brasileiro. Quem pode ser ingênuo a ponto de esperar que uma empresa visando lucros vai prover internet para os pobres? Que não vai se envolver em negociatas e corrupção, leiloando os interesse da população? Vendendo até mesmo a segurança estratégica das telecomunicações governamentais? Há várias outras empresas que estão na mira dos chacais do cifrão do governo federal: Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp); Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência Social (Dataprev); Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro); Empresa Gestora de Ativos (Emgea); Centro de Excelência em Tecnologia Eletrônica Avançada (Ceitec); Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp); e Agência Brasileira Gestora de Fundos Garantidores e Garantias (ABGF) – além de outros ativos.

Em matéria do G1 do ano passado, verificamos que a estimativa do governo é de passar 2 TRILHÕES de reais para os capitalistas via entreguismo. O governo Bolsonaro, apoiado por toda direita e mídia burguesa na pauta das privatizações, é um amontoado de mentiras e distrações para prevenir a mobilização popular contra o saque de seu patrimônio. Disse que não ia privatizar a Caixa, mas mantém o processo de privatização ocorrendo. Diz que não privatiza Petrobras, mas desmonta a empresa para vendê-la aos poucos. No caso dos Correios, já declarou a intenção de vender e massacra os trabalhadores para atingir esse fim. Ninguém se iluda que, quando eventualmente essa máfia na presidência diz que não vai privatizar, isso seja verdade. A população precisa se mobilizar para impedir esse saque, derrubando a direita e todos os golpistas.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas