Com medo do resultado eleitoral, MBL também pede impugnação de Lula

Kim-kataguiri-mbl-fake-news-cunha-1516311568

O agrupamento direitista denominado Movimento Brasil Livre (MBL), financiado pela direita nacional e estrangeira, se colocou como um dos grupos mais ativos na campanha de ataques e calúnias contra o governo da presidenta Dilma Rousseff, o ex-presidente Lula e o conjunto da esquerda nacional.

Os presunçosos direitistas são defensores das supostas virtudes do “mercado”, da “livre iniciativa” e do “Estado mínimo”. Com o dinheiro jorrando fácil da extrema-direita, procuraram levar adiante uma campanha – fundamentalmente nas redes sociais, pois nunca tiveram nenhum apoio popular –  de ataques ideológicos ao socialismo e aos movimentos populares de esquerda.

Amedrontados com o crescimento dos movimentos de luta que defendem o ex-presidente Lula e sua candidatura à presidência da República – que tomaram conta do país de ponta a aponta e que garantiram no dia 15 de agosto o registro de sua candidatura, em grande ato realizado em Brasília – o MBL se juntou ao conjunto dos golpistas que já impetraram ação para impugnar o direito legítimo de Lula candidatar-se ao cargo máximo do país.

As mobilizações nacionais em defesa da candidatura do ex-presidente têm despertado uma grande preocupação dos setores da direita nacional, que vêem no crescimento da luta popular de massas em todo o país uma grande ameaça aos seus intentos golpistas. O MBL é parte (minúscula) de uma dessas frações direitistas amedrontadas e por isso se movimenta ao lado dos golpistas para tentar barrar o direito do ex-presidente de postular-se ao cargo. Esses agrupamentos nada significam do ponto de vista social; não têm nenhum apoio popular e só não desapareceram por completo em função da ausência de uma politica mais enérgica e decidida do movimento de massas e da esquerda nacional.