Com mais de 50 anos de carreira, morre Beth Carvalho: militante de esquerda e sambista
na_5c34b4543f035
Com mais de 50 anos de carreira, morre Beth Carvalho: militante de esquerda e sambista
na_5c34b4543f035

Da redação – Beth Carvalho morreu nesta terça-feira (30), aos 72 anos de idade. Ela estava internada em um hospital em Botafogo, na Zona Sul da cidade, desde o início deste ano.

Sua carreira é emblemática. Nos anos 70, tornou-se a voz de uma nova geração de sambistas, que inclui Zeca Pagodinho, Jorga Aragão, Arlindo Cruz e assim por diante. O que lhe deu o apelido de “Madrinha do Samba”. Cantou com João Nogueira, Paulinho da Viola, Martinho da Vila e vários outros sambistas já renomados na época.

Compôs músicas que marcaram toda uma geração, e interpretou outros clássicos do samba, com sua voz formidável.

Uma das coisas importantes da vida da cantora é que ela era militante de esquerda. Participou de diversos shows, recentementes, pela liberdade de Lula e contra o golpe de estado, como no ato de 1º em Curitiba em 2018.

É com todo o pesar que lamentamos a morte de Beth Carvalho, que entrou para história como uma das maiores sambistas do Brasil.