Abrir os sindicatos!
No ABC paulista governado por tucanos predadores, a população está sendo condenada a exposição diuturna ao covid, com milhares de empresas em funcionamento
covid
Mortos pelo covid crescem em razão de milhares de empresas funcionando pelo país | Foto: Reprodução

No Brasil do fascista Jair Bolsonaro, assassino do povo e amigo dos capitalistas e banqueiros, os gráficos da epidemia continuam na ascendente, sem perspectiva sequer de se estabilizarem. Dentro da política geral da burguesia para o povo os governos psdbistas pelo país afora seguem o mesmo script e aumentam o genocídio contra contra os trabalhadores no país. É o que está a ocorrer no ABC paulista, região que abarca o segundo maior PIB do Estado, com mais de 100 bilhões de reais de acordo com dados do IBGE de 2017. No entanto, apesar da crise os recursos e a política não estão voltados para o povo, estão voltados para os interesses capitalistas com a política deliberada da burguesia em garantir o funcionamento das empresas e indústrias deixando os trabalhadores a mercê da contaminação e da morte.

É o que se impõe no Abc paulista com 291 novos casos confirmados de Covid-19, a região registrou recorde de infectados no último dia 20 de maio, atingindo 4.401 casos confirmados e 428 mortes.
Com centenas de empresas funcionando os números sobem a cada dia, São Bernardo é a cidade com mais mortes confirmadas. Em Santo André a cidade se coloca como o epicentro do ABC em número de contaminados e o município de São Caetano tem a maior concentração de infectados por 100 mil habitantes.
Com esses números a taxa de letalidade no ABC paulista é a mais alta do Estado de São paulo com 9,7%, 2 pontos percentuais acima da média do Estado que é de 7,7%. O total de infectados e de óbitos tem em média, dobrado a cada 10 dias.

No Estado de São Paulo, epicentro da doença no país, o balanço da Fundação Seade registrou 69.859 casos e 5.363 mortes do dia 20 de maio. Antes do feriado prolongado instituído pelos governos municipais da Região Metropolitana de SP, a lotação dos leitos já era de 87,9% dos leitos de UTI ocupados, com previsão de colapso do sistema de atendimento até o último dia do mês de maio.

O índice de letalidade no ABC paulista é um dos maiores do país, sem levar em consideração, a já velha, criminosa e assassina política da subnotificação em razão de não haver testes para a população brasileira.
A salvação da classe trabalhadora do Brasil está nos sindicatos que devem reabrir imediatamente as suas portas e mobilizar os trabalhadores contra os patrões e o Estado. Para a defesa imediata da vida com efetivo e massivo investimento na saúde pública e na pesquisa científica, compra de milhões de testes, aparelhos respiradores,construção imediata de Unidades de terapia intensiva e para a manutenção dos trabalhadores em efetivo isolamento, com investimento na assitência social e econômica da classe trabalhadora.

Relacionadas