Menu da Rede

Antônio Carlos Silva

Antônio Carlos Silva

Sobre o Toninho

Militante do Partido da Causa Operária (PCO) desde as suas origens. Membro do Comitê Central do Partido, secretário Sindical e coordenador da Corrente Nacional Sindical Causa Operária.

Professor do Ensino Público do Estado de São Paulo, atua na oposição da Apeoesp.

Foi candidato a diversos cargos pelo PCO em eleições regionais e nacionais, levando a propaganda revolucionária às grandes massas.

Participa do conselho editorial do Jornal Causa Operária, do qual é colunista.

Apresenta os programas Resumo do Dia e Resumo da Semana, na Causa Operária TV. Também é âncora do programa Comando de Greve.

Não é só Bolsonaro

Com Dória, não! Fora Bolsonaro, eleições gerais, Lula presidente

Os trabalhadores e suas organizações de luta precisam desarmar a armadilha da frente ampla com a direita golpista

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

O Brasil passou nesta sexta-feira (22), da marca oficial (e, portanto, falsificada e abaixo da realidade) de 215 mil mortos na pandemia, com médias de mais de mil mortos e 55 mil infectados por dia.

Isso meio a uma fraudulenta campanha de vacinação (sem vacina!), que atingiu pouco mais de 110 mil pessoas em uma semana (0,05% da população!).

Esta situação impulsiona o agravamento da crise econômica, fazendo com setores da burguesia golpista flertem novamente com o impeachment de Bolsonaro, como parte da continuação lógica da campanha aberta que vêm fazendo em favor do genocida “científico” João Doria, que levou o número oficial de mortos em S. Paulo a mais de 50 mil. 

Assim, junto com o teatro da fracassada vacinação, iniciada com uma amostra da vacina cara e de menor eficácia do mundo, usada para promover o possível “Joe Biden” brasileiro, temos também a encenação do impeachment, com setores direitistas convocando “panelaços” como forma de evitar uma mobilização real, ao mesmo tempo em que pressionam Bolsonaro – que eles desejam manter, por hora – em função dos seus próprios interesses. 

Por todos os lados, setores da esquerda expressam sua enorme confusão política e aprofundam sua capitulação diante da direita atuando em uma frente ampla com os golpistas que derrubaram Dilma Rousseff, prenderam Lula e fizeram o País retroceder como nunca. É a frente com os “donos do golpe” e com os “pais” de Bolsonaro, co-responsáveis junto com o presidente negacionista por mais de 300 mil mortes, pelo desemprego e desocupação da maioria da população economicamente ativa, pela fome que já atinge, em maior ou menor grau, mais de 100 milhões de pessoas em todo o País.

A pretexto da “unidade para combater o fascismo”, essa esquerda se junta aos maiores fascistas e inimigos do povo que aprovaram o congelamento dos gastos públicos por 20 anos, aprovaram as reformas trabalhista (que jogou na lata do lixo a CLT) e da Previdência (que acabou com as aposentadorias de milhões) etc.

Os trabalhadores e suas organizações de luta precisam desarmar a armadilha da frente ampla com a direita golpista.

É preciso abrir uma perspectiva própria dos explorados diante da situação, organizando a mobilização em defesa das reivindicações populares.

  • Contra a fome: auxílio emergencial já!, para todos os desempregados, no valor de – pelo menos – um salário mínimo; expropriação do latifúndio e do agronegócio; reforma agrária com expropriação do latifúndio para garantir terra para quem nela more e trabalhe e a produção de alimentos para toda a população brasileira.
  • Contra o desemprego: redução da jornada de trabalho para 35 horas semanais – 7h por dia, 5 dias por semana – proibição das demissões; estatização sob o controle dos trabalhadores das indústrias fechadas (como a Ford); pagamento de seguro-desemprego igual ao dos salários da ativa; Redução da jornada de trabalho, sem redução dos salários, formação de turnos com pessoal reduzido
  • Contra a pandemia: testagem em massa de toda a população; distribuição de equipamentos de proteção e desinfecção; aumento imediato das verbas para a Saúde; contratação imediata de todo o pessoal da saúde necessário para enfrentar a crise; reposição imediata das perdas salariais dos trabalhadores da Saúde (valorização no holerite e não em inúteis discursos); aumento do número de leitos nos hospitais públicos; expropriação de hotéis e outros prédios ociosos para instalação imediatas de hospitais; formação de conselhos populares de fiscalização do serviço de saúde; estatização de todo o sistema de saúde; quebra das patentes das vacinas e sua fabricação no Brasil (fim do lucro gigantesco dos laboratórios); estatização dos laboratórios; estatização da produção de equipamento de saúde; proibição da reabertura das escolas enquanto durar a pandemia e a população não estiver vacinada.

Para garantir essas e outras medidas emergenciais é preciso derrotar a política criminosa da burguesia golpista de impor um teto de gastos estatais com a população, ao mesmo tempo em que despejam rios de dinheiro nos cofres dos bancos e grandes monopólios.

Essas medidas não podem ser estabelecidas em comum acordo com nenhuma das alas da direita, mas por meio do enfrentamento com elas.

É preciso um programa e uma mobilização real para por colocar abaixo todo o regime golpista que sustenta, unificadamente, a politica de genocídio e ataques aos trabalhadores.

A defesa da restituição plena dos direitos políticos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, com a anulação de todos os processos da criminosa operação Lava Jato, a luta por eleições gerais, para colocar para fora Bolsonaro, Doria e todos os golpistas e por Lula presidente são as palavras de ordem centrais para mobilizar uma alternativa própria dos trabalhadores diante da crise atual.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

NA COTV

Às ruas por fora Bolsonaro, emprego e contra as privatizações - Análise Sindical (Reprise)

49 Visualizações 54 minutos Atrás

Watch Now

SitesPrincipais
24h a serviço dos trabalhadores
O jornal da classe operária
Sites Especiais
Blogues
Movimentos
Acabar com a escravidão de fato, não só em palavras
Cultura

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.