Com corte na fiscalização trabalho escravo avança no Brasil

trabalho_escravo4

Como já era anunciado, o governo golpista de Michel Temer vai levar o Brasil de volta aos tempos da escravidão. Além da “escravidão legalizada” produzida pela monstruosa reforma trabalhista dos golpistas, a exploração do trabalho infantil e o trabalho análogo à escravidão também avançam no país principalmente com a conivência dos golpistas.

Só no ano passado 70% do orçamento destinado à fiscalização e combate deste tipo de crime foi congelado e o número de auditores retrocedeu 20 anos, sendo o menor desde 1998. Segundo a auditora fiscal do trabalho Lívia dos Santos Ferreira, “a gente tem o menor número de auditores fiscais do trabalho de todos os tempos, desde que a inspeção do trabalho foi instituída no Brasil. Nós tivemos um último grande concurso em 2010 que admitiu cerca de 400 auditores fiscais, depois, em 2014, admitimos mais 96. Mas, de lá para cá, a gente não teve”. Desde o Golpe de Estado que destitui ilegalmente a presidenta Dilma em 2016 os números do combate ao trabalho escravo vem caindo, pois o governo fecha os olhos para a situação dos trabalhadores no país.

As políticas de distribuição de renda e fiscalização dos governos petistas, mesmo que limitadas, contribuíram para o avanço no combate deste tipo monstruoso de exploração do trabalho, como afirma Elisiane Santos, procuradora do Trabalho, “Nós tivemos um processo histórico de avanços no enfrentamento do trabalho infantil. Na década de 90, nós tínhamos um contingente de 9,6 milhões de crianças e adolescentes em situação de trabalho. Esse número foi reduzido para 2,7 milhões, segundo a Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) de 2015. Isso foi possível através de políticas de renda e sociais, o Brasil era referência”.

O governo Temer, ao aplicar a política neoliberal dos golpistas, ataca violentamente as condições de vida dos trabalhadores e pretende fazer do Brasil um país de escravos. Por isso é preciso urgentemente derrotar o Golpe e os golpistas, por um governo que defenda os trabalhadores e anule todas as reformas dos golpistas.