Lobby Religioso
O estado do Paraná não consegue conter o avanço do novo coronavírus, mas pretende liberar culto de igrejas, para aglomeração de pessoas
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Ratinho Júnior com representantes das igrejas | Foto: Gilson Abreu/ANP

Com uma média de 50 casos confirmados por dia, o governo do Paraná, através do seu atual governador – Ratinho Júnior – e de sua Assembleia Legislativa, tem em pauta, a reabertura de setores não essenciais, inclusive, igrejas.
O estado, que tem sua curva com o número de infectados e mortos por coronavírus cada vez mais elevada, que não consegue sequer dar conta da epidemia de dengue, avaliou a possibilidade durante a prestação de contas em audiência remota na Assembleia Legislativa do Paraná.

Hoje, o estado tem 4.687 casos confirmados da doença e 182 mortes por COVID-19, e o boletim epidemiológico publicado neste domingo (31) pela Secretaria de Estado da Saúde, demonstra que a circulação do novo coronavírus aumentou 60% no Paraná na última semana. A diferença é entre os 877 casos da semana epidemiológica 21 (período de 17 a 23 de maio) e os 1.404 da semana 22 (período de 24 a 30 de maio).

O estado não tem leitos com respiradores o suficiente para enfrentar a atual pandemia, mesmo com o aumento de números de testes – tão difundido pela imprensa regional – não houve a massificação necessária, ou seja “não dá nem para o cheiro” a quantidade de testes que foram disponibilizados para a população paranaense. Não foram adotadas medidas de prevenção e combate ao coronavírus, como a distribuição gratuita de máscaras e álcool em gel, mas o fascista Ratinho Junior, quer reabrir atividades não essenciais para a população, como por exemplo, as igrejas. Tudo isso é bem estranho, pois o deus todo poderoso, que eles acreditam ser onipresente, só é acessível através das quatro paredes, destas igrejas.

Não existe a menor necessidade de ter igrejas abertas em plena pandemia mundial, onde a principal forma de conter o avanço, é o isolamento social. As pessoas podem muito bem praticar a sua fé e culto em suas casas.

Isto é um verdadeiro escárnio com o povo paranaense. É brincar com a vida do povo, e não dar mínima para o caos que o mundo enfrenta. De que forma o “excelentíssimo” governador Ratinho Júnior pretende conter um vírus que foi descoberto há poucos meses, que não tem vacina para a prevenção, e nem medicamentos específicos para o tratamento?

Nem epidemia de dengue – uma doença centenária – este governo consegue combater. Mas o mesmo acredita que com uma dúzia a mais de testes é o suficiente para conter o avanço do coronavírus, e pode liberar igrejas, para aglomeração de pessoas.

A única alternativa de combate a esta vergonha de gestão, do Sr. Ratinho Junior, é a organização do povo por meio de conselhos populares pulverizados em todas as regiões do estado do Paraná, para que medidas como estas, sejam anuladas por meio da pressão popular, e para que o governador e os parlamentares do Paraná, sejam cobrados de forma exaustiva, quanto às reais medidas que precisam ser adotadas para a população, pois até o presente momento, o governo tem se mostrado bem disposto em atender ao lobby religioso, sem medir as consequências, que podem custar muito caro para a população paranaense.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas