Rio: comércio abre as portas
Na contramão da pandemia, a reabertura do comércio de rua no Rio, incluindo salões de cabeleireiros e barbeiros, foi antecipada pela prefeitura para este sábado (27).
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
índice(1)
Crivella que transformou o governo do Rio numa Teocracia, diz que agora está orientado pela ciência | "Foto: Reprodução".

Primeiramente, é necessário denunciar a política da direita para salvar os lucros dos empresários e jogar o povo para o coronavirus.  Ou seja, o comércio de rua reabre neste sábado na cidade do Rio de Janeiro, Capital. Autorizados pela prefeitura, estabelecimentos poderão abrir das 11h às 17h na cidade.

Na contramão da pandemia, a reabertura do comércio de rua no Rio, incluindo salões de cabeleireiros e barbeiros, foi antecipada pela prefeitura para este sábado (27). O comércio estava previsto para ser incluído na terceira fase da reabertura das restrições em atividades do Rio em função da pandemia do novo coronavírus, no dia 2 de julho.

Contudo, Crivella anuncia antecipação da reabertura do comércio a retomada do funcionamento das lojas, entretanto, foi antecipada porque, segundo o prefeito Marcelo Crivella, “as curvas” relativas ao coronavírus estão caindo. Assim, toma o prefeito “as curvas” inteiramente fraudadas e subnotificadas para atender interesses do lucro e sacrifica, mais uma vez a população.

Argumenta o prefeito, “Dia 25 de junho, na cidade do Rio, nós tivemos 164 sepultamentos. No mesmo dia no ano passado tivemos 200. Ontem, 36 sepultamentos do que no dia 25 de junho de 2019 o que mostra realmente que as curvas estão caindo”.

Crivella que transformou o governo do Rio numa Teocracia, diz que agora está orientado pela ciência, “ a reabertura do comércio e salões de rua foi aprovada na manhã de sexta-feira (26) pelo conselho científico da prefeitura. Lojas de móveis e decorações e concessionárias de automóveis já tinham sido reabertas, assim como os shoppings”.

Uma panaceia de medidas marcada pela mais completa ausência de vigilância e fiscalização compreende, segundo o Superintendente de Educação e Projetos da Vigilância Sanitária, Flávio Graça disse que a reabertura está condicionada ao cumprimento de regras como:

Comércio

  • Funcionar com 1/3 da capacidade
  • Portas abertas
  • Cumprir o distanciamento
  • Ter material para lavagem de mão no banheiro

Salões e barbeiros

  • Funcionar com agendamento
  • Não é permitida sala de espera
  • Não é permitido servir bebidas e alimentos

Completa ainda, “Serão seis horas de funcionamento para que a gente possa acompanhar. É um grupo muito amplo, para que a gente possa acompanhar o cumprimento das regras específicas. Estaremos com vários comboios fiscalizando”.

As ameaças à população feitas pelo prefeito não param por aí. Sobre os próximos passos da reabertura, Crivella disse que a terceira fase da reabertura deve ser dividida em duas: a primeira, dia 2, com a retomada de academias, bares e restaurantes e a segunda, que diz respeitos às escolas privadas, ainda está sendo discutida.

Só a rebelião das ruas pode parar o genocídio gospel do Prefeito Crivella.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas