Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit

Não perca os colunistas da Causa Operária TV no Youtube, diariamente às 12 horas. Ontem, o colunista foi o companheiro Antônio Carlos, que tratou do tema “Marcaram a prisão de Lula, é hora de atacar!”:

“Olá, bem-vindo ao programa colunistas ao vivo no seu canal Causa Operária TV. No programa de hoje queremos tratar do agravamento da situação política. Um enorme agravamento da situação política com praticamente a decretação da data da prisão do ex-presidente Lula.

Enquanto a esquerda brinca de eleições, fingindo que há uma normalidade democrática no país, fazendo o jogo da direita que procura encenar um teatro eleitoral para tentar convencer a população de que tudo caminha na maior normalidade democrática possível, com a ajuda da esquerda, enquanto isso acontece a direita segue firme nos seus planos de aprofundamento do regime golpista. Nessa semana foi anunciado pelos desembargadores golpistas de Porto Alegre, do TRF 4, a data para julgamento dos embargos apresentados pela defesa do ex-presidente Lula a farsa do julgamento ocorrido naquele mesmo tribunal que, não só manteve a condenação estabelecida pelo juiz fascista Sérgio Moro de Curitiba, como ampliou essa condenação para 12 anos e 1 mês justamente a fim de garantir que o presidente Lula seja afastado do processo eleitoral, e mais do que isso. Com essa prisão quer impor uma nova etapa do golpe. Trata-se de encarcerar; de tentar desmoralizar a maior liderança popular do país para que a direita possa ter as mãos livres para avançar com seus planos de ataque aos direitos dos trabalhadores, de entrega da economia nacional.

A prisão não é apenas uma questão eleitoral. Não se trata apenas de que o principal candidato que lidera as pesquisas por ampla margem de voto, ou seja, aquele que a imensa maioria do povo brasileiro quer de novo na presidência da república, está sendo preso e com essa medida seria afastado das eleições para que a direita possa impor sua alternativa com um novo carrasco para dar legitimidade ao golpe. É mais do que isso.

Com esta medida a direita pretende colocar o movimento operário, as organizações de luta dos trabalhadores, da juventude, e dos explorados do campo e da cidade numa defensiva e derrotando e prendendo um general para procurar semear desânimo na tropa, e desta maneira avançar com suas medidas; aprovar a reforma da previdência; colocar em prática a reforma trabalhista que eles aprovaram e extingue um conjunto enorme de direitos dos trabalhadores, que vai obrigar, por exemplo, as mulheres grávidas a trabalharem em locais insalubres; que obriga os trabalhadores a trabalharem sem férias, sem 13°, com a perda de um conjunto de direitos, sem carteira assinada, sem nada. Mas, quer dizer, é uma ofensiva brutal com a qual o governo além destas medidas com os trabalhadores quer aprofundar a entrega da economia nacional e estabelecer  a mais ampla onda de privatizações desde a era FHC, e entregando os Correios, a Eletrobrás, banco do brasil e aprofundando a entrega do petróleo brasileiro.

É uma ofensiva sem precedentes, e, por isso mesmo, a medida que se pretende se estabelecer quanto ao presidente Lula mostra o tamanho da arbitrariedade e que o golpe, iniciado com a deposição fraudulenta através do impeachment no congresso nacional da ex-presidenta Dilma, avança para uma segunda etapa, uma etapa de ainda maior gravidade, de maior cassação de direitos políticos do povo brasileiro. Ele para fazer isso, o judiciário golpista, pretende passar por cima; pisotear a constituição federal que estabelece com toda clareza que não é possível que alguém seja detido sem que esteja esgotada todas as possibilidades de defesa daquele que sofre acusações. Se isso vale, deveria valer pelo menos para qualquer cidadão de uma maneira geral, no caso do ex-presidente Lula é da maior gravidade porque toda a sua condenação; todo o processo feito até agora se baseia exclusivamente em delações super premiadas, sem nenhum tipo de prova que pudesse efetivamente condenar o ex-presidente num tribunal minimamente isento, mas não é isso que estamos vendo. O presidente Lula está tomando de goleada nesses tribunais com o voto de juízes golpistas; juízes e desembargadores com salários de dezenas ou milhares de reais, são parte do regime; são parte do esquema que procura através da operação lava-jato promover a entrega do país para o grande capital nacional e internacional.

Por isso mesmo, companheiros, neste momento as organizações de luta dos trabalhadores, a frente brasil popular, a central única dos trabalhadores, os sindicatos, os partidos de esquerda que não comungam com o golpe e que não apoiam a iniciativa golpista têm que se reunir; têm que realizar plenárias, assembleias e todo tipo de atividade para chamar imediatamente, o quanto mais rápido possível, uma ampla mobilização contra aefetivação dessa prisão.

É hora de sair ao ataque. Não adianta mais ficar esperando pelo judiciário, que já mostrou que está totalmente controlado por aqueles que defendem o regime golpista. Não adianta ficar esperando uma salvação através da via eleitoral, uma vez que a prisão de Lula transforma a eleição em uma verdadeira fraude, e não é possível fazer como a esquerda pequeno burguesa (PSOL, PCdoB nesse momento, PDT de Ciro Gomes) que procura participar do jogo eleitoral; alimentar a ilusão para tentar tirar a casquinha do PT; tentar tirar uma casquinha da situação que vai se colocar com a prisão do ex-presidente Lula.

O que vai estar colocado com a prisão de Lula é transformação da eleição numa fraude, aonde só possa ganhar os candidatos da direita. Por isso, sem depositar nenhuma esperança nas eleições, é hora de sair de sair às ruas; é hora de organizar a mobilização.  É necessário reunir os comitês de luta contra o golpe, os comitês em defesa de Lula, os comitês pela anulação do impeachment e construir uma mobilização unitária para exigir o fim desse processo de perseguição; para garantir na lei ou na marra ou pelos meios que forem necessários que o ex-presidente Lula não seja preso e que se restabeleça seus direitos democráticos, dentre eles o seu direito de ser candidato, mas mais do que isso: para estabelecer um processo de luta contra a ofensiva da direita que passa pela prisão de Lula, mas que também tem entre as suas variantes um golpe militar como continuam anunciando e preparando os chefes militares que nesse momento intervém e ocupam militarmente o Rio de Janeiro.

É preciso, por isso, convocar os comitês e a reunião dos comitês, as plenárias das organizações de esquerda, da frente brasil popular. Têm que ser plenárias deliberativas que apontem um caminho de mobilização; um caminho de luta de sair às ruas, de colar cartazes, de panfletar, de ocupar as ruas, de fazer o que for preciso para impedir a prisão de Lula. Essa é a tarefa. È isso que precisa ser feito e por isso é preciso arregaçar as mangas.

Nos próximos dias, já nessa semana, no fórum social mundial, sair às ruas, organizar grandes mobilizações em todo o país para impedir a prisão de Lula e derrotar o golpe.

Um abraço e até a próxima semana.”

Assistam todos os dias os colunistas do COTV, no Youtube, a partir do meio dia, sempre com um tema diferente e de interesse para a classe operária.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas