Educadores  reúnem mais de 200 contra o golpe e debatem caminho para libertar Lula

educadores 12-07

Realizamos na última quinta, dia 12, mais uma importante atividade preparatória da Conferência Nacional Aberta de Luta contra o Golpe, que se realiza em São Paulo, nos próximos dias 21 e 22 de julho, o Encontro Estadual Educação Contra o Golpe. 

Reunindo quase duas centenas de professores e outros trabalhadores da Educação – além de ativistas da luta contra o golpe – de mais de 20 cidades do Estado de São Paulo, que atenderam ao chamado dos Comitês de Luta Contra o Golpe, por Lula Livre e Em defesa da Democracia, e contando com o apoio da APEOESP, uma calorosa atividade lotou o auditório recém-inaugurado da CUT de Campinas, com um empolgado debate e uma animada confraternização entre os presentes que expressou a disposição da vanguarda da categoria de maioria feminina que impulsionou as primeiras lutas contra o golpe de Estado que derrubou a primeira mulher presidenta da República do País, por meio de um impeachment fraudulento e que, agora, se aprofunda, mantendo como preso político a maior liderança popular do País, o ex-presidente Lula.

Mais de duas dezenas de comitê e entidade estavam representados.

Usando da palavra, a presidenta licenciada da APEOESP, companheira “Bebel” destacou o papel decisivo do PCO na luta contra o golpe, denunciando a trama golpista com antecipação, chamando a mobilizar e esclarecendo o ativismo em todas as suas etapas. Explicou as nefastas consequências do golpe para o ensino público e para os educadores e falou das lutas da categoria, particularmente da combativa greve de 92 dias dos professores paulistas, em 2015, e da necessidade de levar adiante a luta pela derrubada das mudanças impostas pelo regime golpista, tais como a “reforma” do ensino médio e sua Base Nacional Curricular Comum (BNCC) que aponta no sentido da destruição e privatização da Educação.

A mesa do encontro contou também com a presença, dentre outros, do dirigente petista Marcio Pochmann, do presidente em exercício da APEOESP, Fábio Santos de Moraes, do companheiro Edson Dorta, também da direção do PCO e nosso pré-candidato a governador de São Paulo.

As intervenções dos companheiros debateram o aprofundamento da crise da direita, a ditadura do judiciário que impediu a soltura de Lula, dias atrás, a impossibilidade de conquistar a liberdade do único pré-candidato capaz de unir a esquerda que luta contra o golpe e enfrentar com condições de vitória os candidatos golpistas, nas possíveis (mas não garantidas) eleições previstas para outubro próximo. Destacou-se a necessidade de lutar contra o golpe do ‘’plano B” contra Lula, contra a esquerda e contra todos os trabalhadores nas eleições e a necessidade de organizar a greve geral, sob a coordenação da CUT para derrotar os golpistas.

Em nossa intervenção, buscamos destacar as lições das mobilizações dos professores e de todos os trabalhadores contra o golpe e seus ataques (“reformas”)

que comprovaram que não pode haver uma vitória significativa contra o atual regime, se o golpe não for derrotado e que o caminho para essa vitória não deve ser buscado nas ações no judiciário e no parlamento (embora, tudo isso possa ser usado na defesa de Lula e dos trabalhadores) mas na mobilização revolucionária da classe trabalhadora, com seus próprios métodos.

Dezenas de companheiros que ainda não haviam se inscrito para a Conferência Nacional, fizeram sua inscrição durante o Encontro de Campinas e o ativismo saiu animado para fortalecer a organização de caravanas ainda mais amplas para a atividade com companheiros educadores e de muitas outras categorias de todo o País, a ser realizada nos dia 21 e 22 de julho.

A unidade da esquerda que lutou e luta contra o golpe, nos professores paulistas, é um exemplo para o conjunto do ativismo classista de todo o País, que deve ser aprofundado na Conferência e em todos os passos decisivos da luta do próximo período para derrotar o golpe, libertar Lula, anular o impeachment, revogar todas as “reformas” do regime golpista e eleger Lula presidente, como quer a maioria dos explorados e de suas organizações de luta.

Para rever ou assistir o vídeo do Encontro Educação contra o Golpe, clique aqui.