Entreguismo
Base de Alcântara: EUA pode ter acesso irrestrito a 20 mil hectares
A entrega da Base de Alcântara pode levar acesso irrestrito aos EUA e impedir acesso de autoridades brasileiras a cerca de 20 mil hectares
base de alcantara (1)
Entreguismo
Base de Alcântara: EUA pode ter acesso irrestrito a 20 mil hectares
A entrega da Base de Alcântara pode levar acesso irrestrito aos EUA e impedir acesso de autoridades brasileiras a cerca de 20 mil hectares
Vista aérea da Base de Alcântara, no Maranhão. Imagem: Agência Força Aérea/SGT. Rezende.
base de alcantara (1)
Vista aérea da Base de Alcântara, no Maranhão. Imagem: Agência Força Aérea/SGT. Rezende.

A entrega da Base de Alcântara, no Estado do Maranhão, para os EUA é criminosa e resultado de uma política de capacho do governo do fascista Jair Bolsonaro. Após a aprovação pela Comissão de Relações Exteriores, presidida pelo deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), com apoio de partidos de esquerda, como o PCdoB e outros que não conseguem enganar muito, como PDT e PSB, a direita tenta aprofundar essa política entreguista.

Ainda está para ser aprovado o pacote entreguista como o Acordo de Salvaguardas Tecnológicas entre Brasil e EUA para o uso da Base de Alcântara. Esse acordo é um segundo passo, visto que o primeiro acima já foi aprovado, e um aprofundamento da política de ataque da soberania nacional.

Segundo esse acordo firmado entre o presidente ilegítimo e capacho, Jair Bolsonaro e Donald Trump, os EUA pode ampliar, que hoje a base possui 8 mil hectares, para até 20 mil hectares de terras brasileiras com acesso irrestrito de norte-americanos e restrição total de qualquer pessoa e de autoridades brasileiras. Ou seja, os EUA poderiam fazer o que quiserem dentro dessa enormidade de terras estrategicamente posicionadas dentro do território brasileiro.

E em tempos de discussão de intervenção na Amazônia pelos países imperialistas, entre eles o EUA, a Base de Alcântara fica as portas da Amazônia Brasileira e da parte mais desenvolvida da região Norte, que é o Estado do Pará.

Toda essa porção de território brasileiro seria entregue e os EUA poderiam realizar qualquer tipo de atividade ou de movimentação sem nenhuma possibilidade de fiscalização ou restrição por parte do Estado brasileiro.

Servindo ainda mais aos interesses dos EUA em detrimento da população brasileira, o acordo vai remover a comunidade quilombola que vive na região da Base de Alcântara. As estimativas são que podem ser removidas mais de dois mil quilombolas que vivem há centenas de anos na região.

A entrega da Base de Alcântara para os EUA é um dos maiores ataques a soberania nacional e a população brasileira. É um exemplo da política de serviçal de países imperialistas do presidente ilegítimo Jair Bolsonaro e a medida em que consegue realizar seus ataques, com apoio de setores da esquerda, avança para um aprofundamento de sua política de terra arrasada e de transformação do Brasil novamente em uma colônia.

Em menos de nove meses de governo já entregou setores importantes e estratégicos para o Brasil e atacou duramente os trabalhadores da cidade e do campo, indígenas e quilombolas, imagina esperar até 2022 e jogar todas as fichas num processo eleitoral fraudulento, como o que houve no ano passado. É preciso impedir Bolsonaro de governar e de derrubá-lo. Exigir novas eleições e a liberdade de Lula.