Uma das principais atividades do Partido da Causa Operária tem sido a realização de mutirões para o recolhimento de assinaturas em defesa da anulação dos processos contra Lula, por sua liberdade, pelo fora Bolsonaro. 

É uma agitação de rua que tem tido apoio de alguns setores do Partido dos Trabalhadores e de outras organizações que também não querem esperar que as instituições golpistas resolvam, elas mesmas, o problema e os efeitos do golpe de Estado. 

Através de um primeiro balanço desta atividade, é fácil perceber que a população em geral não quer esperar as eleições de 2020, muito menos ainda a de 2022, como sonha a esquerda pequeno-burguesa, viciada em eleições, e que acha que o processo eleitoral vai resolver a questão do golpe de Estado.

Essa ilusão é ainda mais absurda se formos analisar as eleições de 2018, uma das mais fraudulentas de toda a história brasileira. Na disputa presidencial, para Lula não vencer, mandaram ele para a cadeia, como resultado de um processo farsa, comandado pela golpista operação Lava Jato. 

Isso sem falar nas disputas estaduais, em que a direita controla ainda mais de perto todos os momentos da eleição, do voto à apuração. Daí vem a explicação de que tenham sido eleitas, em 2018, diversas personalidades macabras da direita golpista. 

A população, que está sofrendo ataques todos os dias, tanto do Poder Executivo, por meio do golpista Bolsonaro, quanto do Poder Legislativo, não tem mais paciência para aguardar mais uma eleição fraudada, e quer fazer alguma coisa contra o golpe de Estado. Por isso o sucesso dos mutirões. 

São vários os relatos, inclusive, de pessoas que querem tirar Lula das masmorras de Sérgio Moro “no dente”, “na raça”. Passam nas banquinhas, assinam o abaixo assinado, pegam adesivos, compram o jornal Causa Operária e perguntam como será a caravana para Curitiba, no próximo dia 14 de setembro, em mais uma manifestação fundamental na luta contra o golpe.

A esquerda pequeno burguesa não quer lutar contra o golpe. Quer se adaptar ao regime dos golpistas, querem se adaptar a todos os desmandos da direita em troca de participar das eleições, na ilusão de que conseguirá reverter o golpe pelo voto. 

Ao contrário dessa política, a população, como o demonstra os mutirões, quer derrubar Bolsonaro agora, quer libertar Lula imediatamente e, para tanto, está disposta a fazer qualquer coisa. É essa disposição precisa ser organizada e aprofundada, para pôr abaixo o golpe de Estado.