Contra a ditadura
Comissão de referendo revogatório do presidente de extrema-direita é uma medida bastante tímida, mas que expressa interesse da população em colocar governo abaixo
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Manifestação colômbia Foto: Las 2 Orillas
Protesto contra assassinatos | Foto: Reprodução

Nesta quinta-feira (29), foi apresentada uma comissão promotora registrada perante o Estado colombiano, que deu início à coleta de assinaturas para a constituição de um referendo revogatório contra o presidente, Iván Duque. Essa iniciativa, liderada pelo presidente da Comissão da Paz do Senado, Roy Barreras, expressa a forte tendência de luta pela derrubada do governo terrorista e sanguinário da extrema-direita. 

Apesar de ser uma medida bastante tímida, uma vez que busca uma saída institucional para o problema, mostra que existe um clima dentro da população pelo Fora Duque, que a esquerda colombiana deveria ter impulsionado desde antes das eleições.

A proposta do referendo de Barreras é a criação de um dispositivo na lei que permita a revogação de um mandato presidencial. É democrático que um povo disponha de meios para destituir um presidente, porém sem uma mudança estrutural profunda, onde os trabalhadores controlem o Estado, esse mecanismo se tornaria uma arma da burguesia contra governos de esquerda como vemos nos golpes por toda América Latina. 

O referendo proposto prevê também uma série de direitos e benefícios que garantam as condições mínimas de vida para toda população colombiana, a qual está sendo jogada na miséria total, morrendo pela fome e pelo coronavírus. A comissão liderada pelo senador propõe, entre outras garantias, uma pensão mínima vital para todo povo colombiano sem restrições. 

Assim como Bolsonaro, o governo de Iván Duque adota medidas neoliberais que resultam na deterioração das condições de vida, no desemprego, na destruição dos serviços oferecidos a população, na desindustrialização e, portanto, na destruição econômica do país em favor dos interesses do imperialismo.  

É importante compreender que o governo Duque na Colômbia busca instaurar uma ditadura no país que avança contra o direito da população se manifestar nas ruas. E promove um banho de sangue contra as lideranças populares, são mais de mil de assassinatos do governo contra camponeses, ativistas dos direitos humanos, ambientalistas, indígenas, lideranças sindicais e ex-guerrilheiros.   

Não há saída institucional para os ataques do governo de extrema-direita contra a população colombiana. É preciso que as organizações e movimentos populares convoquem o povo para ocupar as ruas e assim construir uma mobilização gigantesca e poderosa que seja capaz de pôr fim a ditatura que avança para garantir os direitos de todo povo.  

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas