Fantoche imperialista
Em 2019, Colômbia lidera ranking de assassinato de defensores do meioambiente e da terra.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Colômbia e EUA
Bandeiras dos Estados Unidos e da Colômbia. | Foto: Reprodução

A Colômbia é, já há algum tempo, uma colônia do imperialismo norteamericano, um estado fantoche. Não que o Brasil também não o tenha sido e não o seja, entretanto, nosso vizinho demonstra um aprofundamento ainda maior da situação.

Assim como no Brasil, a Colômbia tem uma situação agrária onde latifundiários exercem papel de dominação extrema, impondo sua vontade tanto pela cooptação do Estado quanto pelo assassinato de opositores. Segundo a ONG inglesa Global Witness, o país latino liderou o número de assassinatos a defensores do meio-ambiente e da terra em 2019.

De 212 ambientalistas assinados em 2019, 64 eram colombianos. O único país com valor próximo a este foram as Filipinas, com 43 assassinatos (aumento de quase 50% em relação a 2018). O que ambos os países têm em comum são os governos de extrema-direita e bastante subservientes ao imperialismo e às oligarquias locais, em sua maioria vinculadas ao latifúndio.

Em 2020, mais de 50 indígenas colombianos já foram assassinados pela extrema-direita, uma granada já foi jogada contra a sede indígena e nem mesmo crianças e adolescentes, como aconteceu com um jovem de 15 anos. Isto mostra que a Colômbia vive uma violentíssima ditadura a serviço dos poderosos.

Mas não apenas indígenas, ambientalistas e povos tradicionais são atacados pelos fantoches dos EUA, mas também a oposição. Nos últimos tempos, ex-integrantes das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC), que baixaram suas armas e tentaram se integrar ao regime “democrático”, vêm sendo perseguidos e assassinados por apoiadores do governo. Por isto, mostra-se um ato de extrema ingenuidade achar que os governos fascistas cumprirão todo e qualquer acordo. Pelo contrário, assim que as oposições estiverem desarmadas, desmobilizadas, logo implantarão ataques sucessivos contra estas.

As recentes ações imperialistas na América Latina mostram que os monopólios estão aprofundando o fechamento dos regimes ditatoriais. As populações da Colômbia, do Brasil, do Equador e da Bolívia vivem um verdadeiro terror na mão da extrema-direita. Há também uma intensa movimentação imperialista para uso destes países contra a Venezuela, um dos poucos focos de resistência aos imperialistas na região. Portanto, é necessário que as organizações de esquerda do continente se unifiquem em torno deste problema e expulsem, através da mobilização popular, a extrema-direita do poder. É chegada a hora de dar um basta nesta situação, antes que a população esteja sem qualquer capacidade de reação.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas