Genocídio de ativistas
Em média 1 ativista político é assassinado por dia na Colômbia. O país vive uma verdadeira ditadura militar direcionada para o extermínio da esquerda.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Manifestación celebrada recientemente en Bogotá, para protestar contra las últimas masacres ocurridas en varios departamentos del oeste del país.
17/09/2020
Organizações denunciam o genocídio de ativistas na Colômbia. | DANIEL GARZON HERAZO / ZUMA PR - Direitos Autorais: Europa Press 2020.

Nesta sexta-feira (09), organizações sociais denunciaram o assassinato de mais uma liderança dos movimentos populares na Colômbia. O líder indígena Euliquio Pascal Rodríguez foi vítima de ação de milícias paramilitares de extrema-direita.

Euliquio pertencia à Guarda da Reserva Indígena “La Brava”, localizada na zona rural do município de Tumaco, estado colombiano de Nariño. De acordo com a versão do Instituto de Estudos para o Desenvolvimento e pela Paz (Indepaz), o líder indígena chegou à sua residência às 07h e se deparou com homens armados que o esperavam. Em seguida, estes últimos dispararam tiros de armas de fogo contra Euliquio.

A comunidade buscou socorrer Euliquio, que não resistiu e faleceu no local. Seu corpo foi transportado para Caunapí para ser velado.

A Colômbia soma 225 assassinatos políticos no decorrer deste ano, com uma média de 1 militante, ativista ou liderança política da esquerda assassinada por dia. Cerca de 66 massacres já foram cometidos no país, 15 cometidos no departamento de Antioquia. Entre os anos de 2016 e 2019, 555 lideranças políticas foram assassinadas na Colômbia.

O aparelho de repressão colombiano, comandado por Ivan Duque, sob influência direta dos Estados Unidos, é responsável pela implementação de uma política de extermínio da esquerda. Mais de 200 ex-guerrilheiros foram mortos pelas forças de repressão ou pelas milícias de extrema-direita.

A antiga guerrilha transformou-se no partido político Força Alternativa Revolucionária do Comum (FARC). É o maior e mais influente partido da esquerda colombiana, com uma ampla base social e herdeiro de seis décadas de confronto armado com o Estado. Desde que os acordos de paz foram assinados entre os dirigentes das FARC e as autoridades governamentais, que resultou na deposição das armas da guerrilha, um verdadeiro massacre contra seus militantes, dirigentes e apoiadores é levado adiante.

Recentemente, militares do Exército dos Estados Unidos receberam autorização legislativa para realizar operações em território colombiano. O país sul-americano, vizinho da Venezuela, é um dos principais pontos de apoio da política do imperialismo norte-americano no cone sul. Não é segredo que os Estados Unidos se utiliza do território colombiano para conspirações golpistas contra o governo bolivariano da Venezuela, desde a época de Hugo Chávez.

A Colômbia é governada sob um regime de terror imposto à população, que se expressa na perseguição e assassinato da esquerda e dos movimentos sociais. O governo Ivan Duque (partido Centro Democrático) e o Exército colombiano são apoiados diretamente pelo imperialismo norte-americano, que mantém um regime militar com fachada constitucional no país.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas