“Nova Política”
Uma ala do governo Bolsonaro quer que Fernando Collor substitua o atual ministro das Relações Exteriores.
Plenário da Câmara dos Deputados durante sessão solene do Congresso Nacional destinada a dar posse ao presidente e ao vice-presidente da República.

Participam:
senador Fernando Collor (PTC-AL);
ex-senador José Sarney.
 
Foto: Marcos Brandão/Senado Federal
Fernando Collor de Mello (PROS-AL), oligarca , corrupto e político do partido da ditadura militar | Marcos Brandão | Crédito: Marcos Brandão/Senado Federal
Plenário da Câmara dos Deputados durante sessão solene do Congresso Nacional destinada a dar posse ao presidente e ao vice-presidente da República.

Participam:
senador Fernando Collor (PTC-AL);
ex-senador José Sarney.
 
Foto: Marcos Brandão/Senado Federal
Fernando Collor de Mello (PROS-AL), oligarca , corrupto e político do partido da ditadura militar | Marcos Brandão | Crédito: Marcos Brandão/Senado Federal

Há uma pressão para que o presidente fascista Jair Bolsonaro (ex-PSL, sem partido) substitua Ernesto Araújo no Ministério das Relações Exteriores. Uma ala do governo federal aponta o senador Fernando Collor (PROS-AL) como uma possibilidade.

Ernesto Araújo tem sido criticado pela imprensa e responsabilizado pelos seguidos desastres na política exterior brasileira. Contudo, Collor é um conhecido oligarca alagoano, político oriundo do partido da ditadura militar (Aliança Renovadora Nacional – ARENA) e corrupto.

Collor buscava se apresentar como “o caçador de marajás” quando concorreu à presidência da República e foi eleito graças às manipulações da Rede Globo. O Plano Collor, que significou o confisco da poupança do povo, foi responsável por inúmeros suicídios.

Relacionadas
Send this to a friend