Desmoralização da Lava-Jato
Dallagnol participou de uma campanha política que tinha por objetivo impedir a candidatura de Renan Calheiros (MDB-AL) ao Senado Federal.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Deltan-Dallagnol-1280x720
Deltan Dalagnol, ex-coordenador da força-tarefa da Lava-Jato em Curitiba. | Reprodução.

O Conselho Nacional do Ministério Público (CNMPE) decidiu, por nove votos a um, aplicar uma sanção de censura a Deltan Dalagnol por tentativa de interferir nas eleições para o Senado Federal em 2019.

O entendimento dos conselheiros do CNMP é que o ex-coordenador da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba participou de uma campanha que tinha por objetivo impedir a candidatura do senador Renan Calheiros (MDB-AL), que era investigado pela operação.

A operação Lava Jato sempre foi uma operação política da extrema-direita imperialista para reformular o regime político. Dalagnol, Moro e outros procuradores e juízes agiam em conjunto para atacar seus adversários políticos, com comprovada participação de agentes do FBI. O caso mais célebre foi a prisão política do ex-presidente Lula (PT), que ocupava a posição de primeiro colocado nas pesquisas eleitorais e que o impediu de participar das eleições presidenciais de 2018.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas