Desmoralização da Lava-Jato
Dallagnol participou de uma campanha política que tinha por objetivo impedir a candidatura de Renan Calheiros (MDB-AL) ao Senado Federal.
Deltan-Dallagnol-1280x720
Deltan Dalagnol, ex-coordenador da força-tarefa da Lava-Jato em Curitiba. | Reprodução.
Deltan-Dallagnol-1280x720
Deltan Dalagnol, ex-coordenador da força-tarefa da Lava-Jato em Curitiba. | Reprodução.

O Conselho Nacional do Ministério Público (CNMPE) decidiu, por nove votos a um, aplicar uma sanção de censura a Deltan Dalagnol por tentativa de interferir nas eleições para o Senado Federal em 2019.

O entendimento dos conselheiros do CNMP é que o ex-coordenador da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba participou de uma campanha que tinha por objetivo impedir a candidatura do senador Renan Calheiros (MDB-AL), que era investigado pela operação.

A operação Lava Jato sempre foi uma operação política da extrema-direita imperialista para reformular o regime político. Dalagnol, Moro e outros procuradores e juízes agiam em conjunto para atacar seus adversários políticos, com comprovada participação de agentes do FBI. O caso mais célebre foi a prisão política do ex-presidente Lula (PT), que ocupava a posição de primeiro colocado nas pesquisas eleitorais e que o impediu de participar das eleições presidenciais de 2018.

Relacionadas
Send this to a friend