A mais afetada
Os dados coincidem com o que autoridades sanitárias mexicanas vinham apontando: a maioria dos contágios e mortes ocorrem na população sem serviços médicos, água, moradia e emprego
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
mexico
Enterro no México | Foto: Henry Romero/Reuters

Trabalhadores manuais, motoristas, pedreiros, vendedores ambulantes. Este é o perfil de 96% das pessoas no México mortas pelo covid-19. Além disso, 85% das mortes ocorreram em hospitais públicos, enquanto 3% em hospitais privados.

O estudo foi realizado pelo Centro Regional de Investigaciones Multidisciplinarias de la UNAM (Universidade Autónoma Nacional Autónoma de México). Os dados coincidem com o que autoridades sanitárias mexicanas vinham apontando, que a maioria dos contágios e mortes ocorrem na população sem serviços médicos, água, moradia, emprego, luz e escolas.

O caso do México demonstra a total incapacidade das políticas neoliberais no mundo em atender as necessidades dos pobres e explorados, que são os que estão sendo obrigados a ficarem expostos ao trabalho em plena pandemia e que não tem recursos para se protegerem dela. A sanha da burguesia no mundo pela manutenção dos trabalhadores nos considerados “serviços essenciais”e pela reabertura lançam diariamente a classe trabalhadora ao perigo de contágio e à morte pelo coronavírus.

O que acontece no México acontece em boa parte da América Latina e Caribe, que neste domingo apareceu como a região com o maior número de infectados no mundo: 4.340.214.

Número que supera a América do Norte, região que tem os os Estados Unidos, o país mais afetado do mundo, com 4,2 milhões de infecções e quase 150.000 mortes.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas