Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Brazilian Partido Democratico Trabalhista (PDT) presidential candidate Ciro Gomes talks at a worker's union forum in Sao Paulo, Brazil April 27, 2018. REUTERS/Nacho Doce
|

O candidato-abutre mor, Ciro Gomes (PDT), está em permanente diálogo com um dos donos da Ambev, monopólio imperialista do ramo de bebidas. Trata-se Carlos Alberto Sicupira. Isso, segundo a golpista revista Veja. A Burguesia vê com bons olhos este aceno à direita mais explícito ao capital imperialista da parte do abutre Gomes.

Sócio de Jorge Paulo Lemann, na 3G Capital, controladora da Ambev no Brasil, Sicupira e um empresário caracterizado como defensor dos valores dos valores do livre mercado, o que trocando em miúdos significa: impulsionador da selvageria imperialista contra a economia e a população dos países atrasados. Tando, que sua empresa esteve envolvida abertamente no golpe de Estado. A fundação Estudar foi uma das patrocinadoras do vemprarua, movimento de direita, cujo objetivo era a derrubada da presidenta Dilma, está fundação e do trio que faz parte Sicupira que controlam a Ambev sob a liderança Lemann.

Ciro, tem, ou busca ter, o apoio em uma dos representantes do capital imperialista no país e apoiador do golpe. Fato que desmascara novamente Ciro Gomes diante da esquerda.

O relacionamento entre Gomes e Benjamim Steinbruch da Fiesp, ou seja do candidato com a burguesia golpista é fato notório, somando a isso sua incursão junto ao capital imperialista, deve-se qualificá-lo como um político burguês e um dos candidato da burguesia golpista e do imperialismo, o que ele o é  de fato e suas relações o comprovam.

Acontece, porém que as bravatas pseudo-esquerdistas e pseudo-nacionalistas; discurso de candidato turvou este fato para alguns militantes contra o golpe, bem como criou, para um setor fisiológico e oportunista da esquerda a possibilidade de uma “saída” que acreditam conciliatória, pelo menos para a manutenção de seus cargos, com os golpistas. A estratégia é apresentar o abutre Gomes como elemento da esquerda nacionalista para convencer o PT e os eleitores ex-presidente Lula a abandoná-lo na cadeia, e com ele os direitos democráticos, sindicais, sociais etc. do povo brasileiro, bem como entregar a economia nacional para os tubarões capitalista, para apoiar o embuste Gomes. Como contrapartida os oportunistas e carreiristas de todas as matizes continuam com seus cargos e com sua mordomias. tudo isso sob a justificativa do realismo político.  

Ao tomar a aparência de outro, para usufruir-se de seu prestígio, no interesse dos inimigos deste mesmo outro de que se fantasia, corre-se o risco sempre de ser confundido com o que se aparenta ou mais frequentemente de ser desmascarado em sua vilania por aqueles a quem se faz passar.

Gomes quer passar-se por nacionalistas e esquerdista, no entanto tem de sinalizar aos seus patrões que trata-se apenas de fantasia, que podem confiar. Ao mesmo tempo sua essência direitista se sobrepõem a máscara esquerdista, deixando claro para quem quiser ver que se trata de uma candidatura burguesia, um embuste feito para corroborar com a política dos oportunistas contra o povo.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas